A Mãe! de Aronofsky

A Mãe! de Aronofsky

Pelo Pe. Teodoro Medeiros O cinema de autor segue as suas próprias regras; são realizadores que não se dobram à vontade de ninguém e seguem as suas próprias intuições. Como seria de esperar, os filmes que daí resultam não costumam agradar a todos os gostos e as...
“Se Deus quiser”

“Se Deus quiser”

Pelo Pe. Teodoro Medeiros Quantas vezes acontece? Lemos uma recensão a um filme, à espera de perceber que tipo de filme é, e ficamos na mesma ou pior. O articulista discorre sobre isto e sobre aquilo, sobre este ou aquele realizador, tece considerações doutas que...
Sumos Sacerdotes

Sumos Sacerdotes

Pelo Pe. Teodoro Medeiros Juntar todos os outros factores; atores, estória, música e até orçamento iguais, mas fazer dois filmes (duas vezes o mesmo filme) por dois realizadores diversos. A experiência tanto mais bem sucedida quanto maior as diferenças no olhar...
Personae

Personae

Pelo Pe Teodoro Medeiros Scorcese diz que ver um filme é deixar-se envolver por ele, e pensar no que significa ser-se humano. Muitas vezes, isso acontece porque o filme nos provoca, nos leva aonde não queríamos ser levados e nos faz olhar a vida de outra forma. Além...
O que se conta

O que se conta

Pelo Pe. Teodoro Medeiros Não será isso que fica? Com certeza que não: o que salvará um romance (mais um!) do grande ecrã nos tempos que correm? Ficarem juntos? Não se poderem juntar? Um deles morrer? Um dar a vida pelo outro? Viverem em tempos diferentes? Um deles...
Plano para uma fuga perfeita

Plano para uma fuga perfeita

Pelo Pe. Teodoro Medeiros O ambiente não faz parte da técnica; quando muito tem a ver com os planos da imagem e a montagem. Também não pode ser simplesmente confundido com o cenário: este constitui o contexto menos próximo de cada cena (mas isso também é claramente...