Dados são do INE. Ribeira Grande, Ponta Delgada, Lagoa e Vila Franca do campo registam saldo natural positivo.

O arquipélago dos Açores tem quatro concelhos, num total de 36 em todo o país, que ainda registam um saldo natural positivo, ou seja, nasce-se mais do que se morre, segundo dados do INE, relativos ao ano de 2013.

 

A diferença entre o número de nascimentos e de mortes é mínima mas, ainda assim, positiva nos concelhos da Ribeira Grande (140), Ponta Delgada (64), Lagoa (40) e Vila Franca do Campo (6) e não alivia o “inverno demográfico” que tendencialmente tem atingido as ilhas dos Açores, sobretudo as mais pequenas. Aliás, só estes quatro concelhos, em São Miguel,  apresentam este saldo, de acordo com as estatísticas.

 

A tendência, de resto, será para piorar como se tem revelado nos últimos anos, segundo vários investigadores.

 

O país regista um decréscimo do número de concelhos com saldo natural positivo. Sintra possui o saldo natural mais alto (1031) e Lisboa o mais baixo. Apenas 12% do país cresce graças aos nascimentos.

 

O aumento da esperança média de vida e o facto de se ter nascido menos em Portugal faz com que o mapa demográfico seja totalmente desequilibrado.

 

A descida do número médio de filhos por casal(1,3 filhos), o adiamento da maternidade, a emigração jovem e a partida de imigrantes para os países de origem determinam em parte a impossibilidade de aumentar a natalidade.

 

Nos Açores, em 2013, nasceram 2488 crianças, cerca de 2,8%  dos nascimentos do país, segundo  a Pordata. A ilha de São Miguel com 1504 nascimentos lidera a fecundidade; na cauda estão o Corvo e as Flores com  7 e 29 nascimentos, respetivamente.