Pelo Pe José Júlio Rocha.

Ela voltou apressadamente à presença do rei e fez-lhe este pedido: «Quero que me dês sem demora, num prato, a cabeça de João Batista». (Marcos 6, 25)
A macabra decapitação de João Batista revela-nos, mais uma vez, até onde a maldade humana, com os seus jogos de bastidores, consegue chegar.
O mundo está cheio de injustiças, de justos que pagam pelos injustos, e todos nós já sentimos, de alguma forma, na pele, o sabor da injustiça. Mas certamente também já fomos injustos com o próximo.
Um dos remédios é saber colocar-se no lugar do outro.