Pelo Pe José Júlio Rocha.

Quando Jesus chegou ao local, olhou para cima e disse-lhe: «Zaqueu, desce depressa, que Eu hoje devo ficar em tua casa». (Lucas 19, 5)
Todos nós somos, de alguma forma, Zaqueus, seja pelos nossos pecados, seja pela forma como nos escondemos atrás dos sicómoros da vida para ver Jesus passa sem sermos vistos.
Mas Jesus fixa em nós o Seu olhar. Não nos recrimina, não nos condena, nem nos exige, como primeira condição, o arrependimento.
Apenas diz: “preciso de ti”. Se O aceitarmos, como Zaqueu, Jesus transforma-nos.