Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Jesus realizou muitas outras coisas. Se elas fossem escritas uma a uma, penso que nem caberiam no mundo inteiro os livros que era preciso escrever.» (João 21 25)
É assim que termina o Evangelho segundo São João: não havia lugar no mundo para contar tudo o que Jesus fez. Esta é uma metáfora da fé e da nossa relação com Deus: infinitamente mais é o que não sabemos do que o que sabemos. É impossível abarcar o Infinito.
Mas aquilo que sabemos é já o suficiente para darmos rumo e sentido à nossa vida. Dizia Santa Teresa de Ávila: “Nada te turbe, nada te espante. Tudo passa, Deus não muda. Quem a Deus tem nada lhe falta. Só Deus basta!”
Somos apenas peregrinos, romeiros do Infinito.