Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Esforçai-vos quanto possível por juntar à vossa fé a virtude, à virtude a ciência, à ciência a temperança, à temperança a constância, à constância a piedade, à piedade o amor fraterno, ao amor fraterno a caridade.» (2ª Pedro 1, 5-7)
A segunda carta de São Pedro, dirigida a toda a Igreja, elenca uma série de virtudes que identificam o verdadeiro cristão. É interessante notar que ele começa na fé e termina no amor, a suprema de todas as virtudes.
Ciência, temperança e constância são também nomeadas: o cristão deve procurar conhecer, não ser ignorante, deve saber medir todas as coisas com tempero, deve ser constante, não andar ao sabor das ondas, como tantas vezes acontece neste tempo veloz.
E, por fim o amor, a medida de todas as coisas.