Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Se não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, se não meter o dedo no lugar dos cravos e a mão no seu lado, não acreditarei». (João 20, 25)
Celebramos hoje a Festa de São Tomé, que ficou conhecido como o apóstolo da dúvida: ver para crer.
Tomé tinha o epíteto de Dídimo ou Gémeo. Gémeo de quem? O Evangelho não diz. De alguma forma todos nós somos irmãos gémeos de Tomé de cada vez que a dúvida assalta a nossa alma.
A fé é a certeza das coisas que não se veem. Também inclui certamente a dúvida, porque ninguém tem uma fé absolutamente pura.
A fé não é um lugar sossegado: é uma aventura.