Iniciativa é financiada pelo Programa Cidadania Ativa da Fundação Gulbenkian

O novo projeto TRADE-IN- Tradição e Inovação para a Empregabilidade, promovido pela Cáritas da ilha Terceira, e financiado pelo Programa Cidadania Ativa da Fundação Calouste Gulbenkian, arrancou no passado dia 1 de abril.

Trata-se de mais um projeto de intervenção social, com a duração de um ano que tem por objetivo ”potenciar/transformar” atividades tradicionais dos sectores primário e secundário para “favorecer a integração escolar e a empregabilidade dos mais jovens, especialmente os mais vulneráveis”.

O projeto foi feito em parceria com a Fundação de Ensino Profissional da Praia da Vitória, conta com a cooperação de entidades diversas e com o apoio financeiro da Gulbenkian.

Este projecto vem juntar-se a outros desenvolvidos pela Cáritas da ilha terceira com vista à empregabilidade como é o caso da iniciativa Terra Nostra-Capacitação com Raízes,  que arrancou no passado dia 20 de janeiro com o segundo curso de formação na área da agricultura biológica.

O projeto premiado em 2014 como umas das quatro melhores práticas de responsabilidade social a nível nacional, no âmbito do prémio em responsabilidade social Maria José Nogueira Pinto, entre setenta e duas iniciativas  apresentadas a concurso, conta com o apoio da Fundação EDP e é desenvolvido em parceria com a Cooperativa Bioazórica e a Ordem Franciscana , e tem o apoio de empresas locais.

No essencial, a filosofia subjacente a este tipo de intervenção social pressupõe o desenvolvimento de atividades próximas das origens destes jovens – “quase todos eles têm familiares  que trabalhavam a terra e por isso têm algum gosto”- e capacitá-los de conhecimentos que possam ser uma porta para a sua empregabilidade.

Atualmente o projeto dá formação a 13 jovens, desenvolvida numa dupla componente teórico-prática numa área inovadora.