Bispo de Angra envia mensagem para esta quadra convidando os diocesanos a “Despertar para o essencial da Vida Humana”

O bispo de Angra acaba de enviar uma mensagem de Natal a todos os diocesanos intitulada “Despertar para o essencial da vida humana” onde apela à redescoberta dos pilares fundamentais para a construção de uma “nova humanidade” que rejeite o “frenesim económico e material” das sociedades modernas e ofereça atenção redobrada aos outros, sobretudo aos mais pobres e excluídos.

“O Natal comporta uma decisão firme que leva a uma opção em favor dos mais débeis e desprotegidos para lhes devolver a esperança. Contudo, para que tal se concretize exige-se partilha e comunhão efetivas, não só de bens materiais mas da pessoa em si mesma, tendo como exemplo a Jesus de Nazaré”, afirma D. João Lavrador na sua mensagem para este Natal na qual reconhece que os tempos são difíceis.

“No meio do frenesim económico e material que invadiu a nossa sociedade, é difícil descobrir os verdadeiros sinais que nos indicam o essencial da vida humana”, alertou destacando, em concreto, a sedução pelo “imediatismo e pela matéria” que “ofuscam a verdade sobre o ser do homem e da mulher criados e redimidos por Deus”.

Por isso, adianta, “celebrar o Natal, o nascimento de Jesus de Nazaré, é, ano após ano, caminharmos ao encontro do verdadeiro Mestre que na sua postura de vida nos ensina o que é verdadeiramente viver humanamente” refere D. João Lavrador, sublinhando a importância de todos os cristãos olharem para o presépio e seguirem o exemplo de Jesus.

“Nascendo na pobreza, despertando, desde a primeira hora, o olhar atento dos mais excluídos e oferecendo-se através da simplicidade e da humildade como resposta à inteligência humana ávida de vida e de verdade, está a indicar-nos a nós hoje o valor da vida humana vivida no amor, na comunhão mútua, na generosidade, na partilha, no desprendimento pessoal, na ternura, na compaixão e na abertura para Deus”, prossegue a mensagem de Natal do prelado insular.

“A mensagem angélica que anuncia que alguém nasceu para nós e que é portador de uma vida há muito desejada mas ainda não experimentada destina-se também a nós hoje, mergulhados no individualismo e consumismo, seduzidos por um progresso atrofiador e alienados em idealismos estéreis” disse.

“Caminhar ao encontro de Jesus de Nazaré é deslocar-se para ir ao encontro dos que na sociedade esperam a sua libertação, nomeadamente os pobres, os excluídos, os marginalizados, os refugiados, os migrantes, isto é os que anseiam por uma vida autenticamente digna” acrescentou ainda D. João Lavrador.

Por isso, “O Natal é um convite a caminhar na edificação de uma humanidade nova que tem o seu modelo em Jesus de Nazaré”, esclareceu.

“É nestes sentimentos de profunda comunhão entre todos os homens e mulheres que vivem, sofrem e lutam, se interrogam sobre o seu futuro ou porventura ainda não despertaram para a sua vocação sublime como filhos de Deus, que expresso os meus votos de Santo e feliz Natal para todos os diocesanos sejam os que vivem nos Açores seja os que se encontram na diáspora”, conclui D. João Lavrador.

O prelado diocesano regressa este ano a São Miguel para celebrar o Natal, presidindo às celebrações da Missa do Galo e da Missa de Natal na Igreja Matriz de São Sebastião em Ponta Delgada, a 24 e 25 de dezembro.

No ano da chegada à diocese, ainda como bispo coadjutor, D. João Lavrador presidiu às celebrações em Ponta Delgada enquanto que o bispo residencial, D. António de Sousa Braga, na altura, presidia às celebrações na Catedral diocesana, em Angra. No ano seguinte, já como bispo residencial presidiu às celebrações no Faial e no ano passado esteve na Sé de Angra. Este ano, cumprindo esta preocupação de descentralização presidirá às celebrações em Ponta Delgada.

Recorde-se que estas missas são sempre difundidas pela RTP Açores e pela RTP Internacional. Destaque ainda para a mensagem de Natal do prelado que será emitida imediatamente após o telejornal da RTP Açores do dia 25 de dezembro.