Celebração jubilar termina este domingo com a Eucaristia presidida pelo Papa Francisco

O presidente da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé afirmou hoje em Roma que a celebração do Jubileu dos Catequistas é uma oportunidade para esclarecer sobre a “imagem verdadeira de Deus que devem transmitir”.

O Jubileu dos Catequistas conta com a participação de 700 portugueses provenientes de todas as dioceses de Portugal, que iniciaram a celebração jubilar esta sexta-feira, terminando no domingo com a Eucaristia presidida pelo Papa Francisco.

Em declarações à Família Cristã, D. Manuel Pelino disse que a participação portuguesa traduz-se num “bom número”, que não o deixa “satisfeito nem surpreendido”, pois poderia ser melhor caso os custos das viagens não fossem tão elevados.

Para o presidente da Comissão Episcopal que coordena o setor da Educação na Conferência Episcopal Portuguesa, celebrar o Jubileu com os catequistas é uma oportunidade para descobrir e apresentar Deus como Misericórdia.

“Penso que hoje a catequese já tem pessoas competentes, mas às vezes ainda se anuncia um Deus que está sempre à procura da nossa falha para nos castigar e esta imagem da Misericórdia, do amor aos mais frágeis, é uma imagem que deve estar no testemunho do catequista e na pregação da Igreja”, disse D. Manuel Pelino.

Para D. Nuno Brás, membro da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé, a presença dos catequistas de Portugal é sinal da “importância dos catequistas na vida cristã do país”.

Em declarações à Família Cristã, o bispo auxiliar de Lisboa disse que “um jubileu vivido em Roma, a cidade do Jubileu por excelência, é sempre diferente do jubileu vivido mais perto de casa; depois, o contacto com o Papa, o sucessor de Pedro, e o contacto com esta universalidade da Igreja”.

“Perceber que somos milhares de catequistas em Portugal, mas milhões espalhados por todo o mundo, a transmitirem os mesmos ensinamentos, é algo de muito enriquecedor de se perceber”, acrescentou D. Nuno Brás.

Os catequistas de língua portuguesa iniciaram esta sexta-feira as celebrações jubilares com uma catequese sobre o tema da misericórdia pelo responsável da secção portuguesa na Secretaria de Estado do Vaticano, monsenhor Ferreira da Costa, que decorreu na igreja de São Luís dos Franceses e a partir do ciclo de pinturas de Caravaggio sobre São Mateus, que preenchem a Capela Contarelli, nesta igreja.

“Que este Jubileu ajude a nossa mente e o nosso coração a moldar-se segundo este estilo de empenho que Deus assumiu a favor de cada um de nós, para, deste modo, a nossa vida se transformar num compromisso de misericórdia para com todos”, disse monsenhor Ferreira da Costa, citado pela Família Cristã.

Este sábado, o programa do Jubileu dos Catequistas propõe a Peregrinação à Porta Santa e a possibilidade de fazer o percurso “Nos passos dos Santos e Beatos da Catequese”; ao fim do dia, decorre na Basílica de São Paulo Fora de Muros a oração de vésperas e a apresentação de testemunhos.

O Jubileu dos Catequistas termina este domingo com a celebração da Eucaristia, na Praça de São Pedro, às 10h30 (menos uma em Lisboa), seguida da oração mariana do Angelus

(Com Ecclesia)