Por Renato Moura

A esperança habitualmente define-se como a virtude que leva a acreditar na bondade e na omnipotência divinas e a confiar que alcançaremos uma vida eterna. Esperança é também a confiança em se conseguir o que se deseja e a crença em resolver favoravelmente uma situação desejada. Na sabedoria popular quem acredita sempre alcança.

Vivemos numa época difícil, pois que constantemente nos roubam a esperança: são políticos, comentadores, jornalistas e até pregadores. A doença e o medo sobre o desenlace de situações futuras ameaçam retirar a esperança. E como disse Charles de Gaulle “o fim da esperança é o começo da morte”. Para Winston Churchill “Todas as grandes coisas são simples. E muitas podem ser expressas numa só palavra: liberdade; justiça; honra; dever; piedade; esperança”.

São os que creem em Deus que devem transmitir esperança aos necessitados. E não aspiramos apenas ao céu, mas esperamos também encontrar uma vida para seguir em frente, especialmente no tempo da adversidade e ter esperança abre-nos ao contacto com o Senhor e faz-nos acreditar que Deus cuida de nós, pois esclarece o Papa “sabemos que Jesus está a pedir ao Pai por nós”. A esperança ilumina o caminho, mas é preciso deixar guiar-se pelo Criador, que está onde nós estamos e que apesar do risco e da aventura nos protege. A esperança funda-se na confiança em Deus e no revés é mais fácil procura-Lo e esperar pelo Seu socorro, real e efectivo, no auxílio para encontrar alegria no meio das dificuldades.

A esperança cristã é um dom divino, é um caminho aberto no deserto das provações, Deus é a fonte da esperança, é bondade e benevolência, disponibilidade para responder aos apelos de ajuda, com a convicção de que a Ele nada é impossível. O oração alimenta a esperança que gera confiança, alenta na tristeza, protege contra o desânimo, é fonte de energia, produz alegria, aspira à felicidade.

Prega o Papa Francisco: “O que nos dá a paz em tempos difíceis, nos momentos mais sombrios da vida, é a esperança. A esperança não desilude, está sempre ali: silenciosa, humilde, mas forte”; a esperança “é esta virtude cristã que nós temos como grande dom do Senhor e que nos faz ver mais longe, isto é, além dos problemas, das dores, das dificuldades, além dos nossos pecados”; “Há necessidade de homens e mulheres de esperança, mesmo no meio dos problemas. A esperança abre horizontes, a esperança é livre, não é escrava, encontra sempre saída”. Que a esperança assim seja para todos os que agora nascem para a vida ou já palmilharam longas veredas.