Sacerdote fez conferência sobre a “Cultura da Alegria na Família” no âmbito da Escola Cristã da ouvidoria de Ponta Delgada

A Família é um lugar de construções onde o conhecimento, o respeito, a aceitação do outro e a inclusão são as traves mestras, disse esta segunda-feira o Pe. José Paulo Machado, conferencista convidado da Escola de Formação Cristã da Ouvidoria de Ponta Delgada sobre “A cultura da Alegria na Família”.

“Ser católico hoje exige que sejamos atentos a todas as situações que gravitam à nossa volta, isto é, temos de lembrar o que é a nossa doutrina, anunciando a sua beleza, mas temos de ser capazes de integrar e de incluir, pela linha do amor” disse o sacerdote que no próximo mês de janeiro assumirá a direção do jornal católico A Crença.

O sacerdote desafiou as famílias cristãs a “não terem medo de serem apelidadas de beatas” e a serem as primeiras testemunhas do que é a “proposta da Igreja para a família”, mas sem serem “sistematicamente do contra”.

“Nós pagamos uma fatura tremenda por sermos cobardes e termos vergonha de falar sobre o que é a proposta da Igreja para a família” esclarece o Pe. José Paulo Machado destacando que a “pobreza é a grande força da família”.

“Não ter medo de ser diferente mesmo que preguemos no deserto contra os `kits de plástico´ que nos querem impor”, acrescentou exemplificando que as questões da sexualidade, da vivência conjugal ou da relação pais e filhos, marido e mulher devem corresponder ao modelo de família cristã, que à semelhança da de Nazaré se assume na diferença e sobretudo na pobreza.

Por isso, o sacerdote deixou aos participantes uma espécie de receita para recentrar a família cristã numa cultura de alegria, sobretudo neste tempo de Advento: a oração em conjunto; a confissão e a celebração do sacramento da reconciliação; a devoção ao presépio; a prática do jejum e a solidariedade entre todos os seus membros.

“Cada um tem de se aceitar na sua diferença e perceber que estamos sempre em construção” quer do ponto de vista individual quer do ponto de vista familiar.

“Não há famílias perfeitas” mas uma “verdadeira família cristã, formada no amor, tem de viver esta alegria que deriva do conhecimento mutuo e profundo de cada um dos seus membros e da sua aceitação tal como são”.

“Podemos olhar para trás e ver que nem sempre agimos bem, mas há sempre a possibilidade de fazer e de sermos melhores” acrescentou, ainda lembrando que esta é uma das marcas de uma família cristã.

O Pe. José Paulo Machado regressou este ano pastoral à diocese depois de ter estado cerca de uma década no Patriarcado de Lisboa, onde completou a licenciatura e o doutoramento em Ciências da Comunicação, na Universidade Católica Portuguesa. Atualmente é pároco na Fajã de Baixo, uma das paróquias da periferia de Ponta Delgada e professor de Educação Moral e Religiosa Católica.