Por D. José Bettencourt

A Nunciatura Apostólica (Embaixada da Santa Sé) em Erevã é um sinal da solidariedade do Papa Francisco para com a nação arménia. Mesmo antes do estabelecimento das relações diplomáticas em 1992, os acontecimentos mundiais do século 20 aproximaram a Santa Sé e a Armênia.

O Papa Bento XV (1854-1922) está entre as personalidades mundiais homenageadas pela Armênia pelo seu compromisso diplomático e apoio ao povo arménio. Em 1946 o Papa Pio XII escolheu um prelado arménio e criou-o Cardeal, o Servo de Deus Gregório Pedro XV Agagianian (1895-1971), nomeando-o Prefeito da Congregação para a Propagação da Fé, figura de destaque, confiando-lhe uma função “ministerial” de amplo alcance internacional.

Com a queda do regime soviético, o cardeal Achille Silvestrini, Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, pôde visitar a Armênia em outubro de 1992 e estabelecer contatos diretos com as Autoridades. Há vinte anos, exatamente no dia 25 de setembro de 2001, o próprio São João Paulo II visitou a Armênia. Maís recentemente, em abril de 2015, o Papa Francisco celebrou a Santa Missa para os fiéis de rito arm´énio na Basílica de São Pedro, que contou com a presença das mais altas autoridades civis e religiosas. Em 12 de abril de 2015, o mesmo Papa proclamou São Gregório de Narek, escritor e monge arménio, Doutore da Igreja universal. Em 24 de junho de 2016, a Armênia recebeu o Papa Francisco, que fez escalas em Erevã, Etchmiadzin e Guiumri. Além disso, ao longo dos anos, vários Prelados da Santa Sé visitaram a Armênia.

Da parte da Armênia, as mais altas autoridades civis, incluindo presidentes e ministros das Relações Exteriores, visitaram o Vaticano várias vezes, assim como as autoridades religiosas arménias. Digno de nota são as múltiplas visitas de Sua Santidade Karekin II, Patriarca Supremo e Católicos de todos os Arménios, aos Papas João Paulo II, Bento XVI e Francisco.

A Santa Sé está na vanguarda do diálogo pela paz no Cáucaso Meridional. O Papa Francisco foi o primeiro líder mundial a apelar publicamente pela paz, ainda no início da guerra em Nagorno Carabaque em julho 2020.  O seu compromisso continua mesmo hoje através da diplomática da Santa Sé no apoiar o diálogo a fim de conseguir uma paz duradoura na região.

A nova Nunciatura Apostólica – a “embaixada do Papa Francisco” – com sede em Erevã, capital da Arménia, é um sinal importante para a Nação e para toda a comunidade internacional. A abertura da missão diplomática em Erevã é um sinal eloquente para os países estrangeiros, organizações internacionais, agências humanitárias e todos aqueles que estão empenhados na promoção do diálogo e da paz. A pátria de Gulbenkian, e toda a região, merece o apoio da comunidade internacional para atingir essa tão desejada paz.

*D. José Avelino Bettencourt é o Núncio Apostólico da Santa Sé na Arménia, Azerbaijão e Geórgia. Este é o terceiro de uma série de três artigos, nos quais reflete sobre a Diplomacia do Vaticano a partir da sua experiência como Núncio em países com história, mas onde os católicos constituem hoje uma minoria.