Pelo Pe José Júlio Rocha.

Naquele tempo, Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou-Lhe: «Se meu irmão me ofender, quantas vezes deverei perdoar-lhe? Irei até sete vezes?».
Jesus respondeu: «Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete.» (Mateus 18, 21-22)
Há páginas dos Evangelhos que, de bom grado, rasgaríamos e a nossa fé seria um caminho fácil. Uma delas é esta: perdoar sempre.
O perdão é a forma mais pragmática de viver o Amor. Quando não conseguimos perdoar é sinal de que o nosso coração não está livre. Quando não queremos perdoar é sinal de que o nosso coração não está limpo.
Amar os inimigos? Quantas vezes o nosso maior inimigo não somos nós próprios?