Pelo Pe José Júlio Rocha.

«E aqueles dezoito homens, que a torre de Siloé, ao cair, atingiu e matou? Julgais que eram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém? Eu digo-vos que não.» (Lucas 13, 4-5)
Jesus combate a ideia de que a riqueza e a saúde são um prémio de Deus enquanto a pobreza, a doença ou então a morte são um castigo do Pai Eterno.
Não faltam santos que foram pobres, doentes ou até que morreram brutalmente.
A ação de Deus no mundo é bem diferente da recompensa e do castigo.
“Teve o que merece” ou “Deus não dorme” são acusações que, muitas vezes, usamos para quem não gostamos.
Não invoquemos o nome de Deus em vão.