Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que se exprimissem.» (Atos dos Apóstolos 2, 4)
No capítulo 11 do Génesis, ao construir a Torre de babel, os homens, falando a mesma língua, não se entenderam: é a linguagem do orgulho e do ódio, que gera todos os males.
No episódio do Pentecostes, falando muitas línguas diferentes, todos entenderam a linguagem dos Apóstolos: é a língua do Espírito, do Amor, entendida por todos.
Hoje é a grande festa do Espírito Santo. O grande símbolo do Espírito é exatamente “ar”, “vento”, “sopro”, “brisa”, “spiritum”. Não se pode aprisionar o vento numa gaiola. Este é o dia da grande Liberdade para amar.