Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças.» (Marcos 12, 30)
Certa vez uma senhora disse-me que não conseguia amar a Deus mais do que aos seus filhos. Respondi-lhe que são duas modalidades de amor diferentes e que, amando os seus filhos, ela estava a amar a Deus.
Ninguém pode amar só a Deus. Já são João dizia: “Se alguém disser: ‘Eu amo a Deus’, mas tiver ódio ao seu irmão, esse é um mentiroso; pois aquele que não ama o seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.” (1 João 4, 20).
O cristianismo é uma força destinada a transformar o mundo, não a fugir do mundo.