Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Assim deve brilhar a vossa luz diante dos homens, para que, vendo as vossas boas obras, glorifiquem o vosso Pai que está nos Céus.» (Mateus 5, 16)
A luz não se vê: permite ver as coisas, tal como o sal não se vê quando diluído na sopa, mas dá-lhe sabor.
Assim o verdadeiro cristão. Não é pelos sinais exteriores que o cristão se identifica: é pelas suas obras de bondade e amor.
Em Mateus 25 identificam-se os “benditos do Pai”. Como se identificam? “Porque tive fome e destes-me de comer, tive sede e destes-me de beber, era peregrino e recolhestes-me, estava nu e destes-me que vestir, adoeci e visitastes-me, estive na prisão e fostes ter comigo.” (Mateus 25, 35-36).
Só assim o cristão é sal da terra e luz do mundo.