Cardeal-patriarca destaca o padre Ricardo Neves como uma figura «que marcou a sua geração»

Faleceu esta quinta-feira, vítima de doença prolongada, o padre Ricardo Neves, antigo responsável pela formação de sacerdotes no Patriarcado de Lisboa.

As exéquias do sacerdote de 42 anos, que atualmente era pároco do Estoril, foram celebradas hoje de manhã na igreja da Boa Nova, pelo cardeal-patriarca de Lisboa, seguindo depois o cortejo fúnebre para o cemitério da Galiza.

O Padre Ricardo Neves esteve na diocese de Angra no Ano Pastoral de 2013/2014, tendo sido o responsável pela orientação dos dois turnos de retiro de sacerdotes em Ponta Delgada e em Angra do Heroísmo.

Na altura em entrevista ao Sítio Igreja Açores lembrava a importância da Igreja Católica ter permanentemente uma proposta inclusiva e ser “uma igreja de portas abertas a todos”.

Numa nota enviada pela paróquia do Estoril à Agência ECCLESIA, o Cardeal-patriarca, D. Manuel Clemente destaca um sacerdote que “marcou a sua geração a vários níveis”.

“Entre os seus colegas de seminário, era naturalmente líder, pela inteligência, pela sensibilidade, pelo entusiasmo. Entre os seus seminaristas, depois, juntava um alto grau de discernimento com a relação próxima, fraterna e estimulante. Para os seus paroquianos, foi um pastor de todas as horas, de todos os projetos”, frisa o cardeal-patriarca.

Desde setembro de 2014 que o padre Ricardo Neves lutava contra um cancro e estava internado há várias semanas no Hospital de São José, em Lisboa, depois do seu estado de saúde se ter agravado.

Para o vigário-paroquial do Estoril, padre José Paulo Machado, o sacerdote foi alguém que sempre “puxou pelo melhor da sua paróquia e pelo melhor de cada um dos seus paroquianos”.

“É hora, enquanto comunidade paroquial, de todos nos transfigurarmos pela oração, adiantando a glória do céu que tanto almejamos para o nosso querido pároco agora defunto”, exorta o vigário-geral do Estoril.

Nascido em Lisboa a 15 de setembro de 1972, o Padre Ricardo Neves viveu a infância em Rio de Mouro, tendo iniciado o seu percursp vocacional nos seminários do Patriarcado de Lisboa em 1986.

Foi ordenado padre a 29 de junho de 1997, no Mosteiro dos Jerónimos, e celebrou a sua Missa Nova a 13 de julho, em Rio de Mouro.

Desde setembro de 2011, era pároco de Santo António do Estoril e vigário de Cascais, juntamente com a direção do Serviço de Animação Espiritual.

Ao longo dos seus 18 anos de sacerdócio, foi também prefeito e vice-reitor do Seminário de S. José de Caparide, assistente do Sector de Cascais das Equipas de Jovens de Nossa Senhora e diretor diocesano do Serviço da Pastoral Vocacional.

CR/Ecclesia