Por Adrelina Andrade*

 “Proclama a Palavra, insiste em tempo propício e fora dele, convence, repreende, exorta com toda a compreensão e competência… controla-te em tudo, suporta as adversidades dedica-te ao trabalho do evangelho e desempenha com esmero o teu ministério.” 2 Tm 4, 2-5

 Começo assim esta partilha de algumas das atividades da Pastoral Profética desenvolvidas na ilha do Pico, afinal ser catequista é ser testemunha com a vida de um amor maior. É o Senhor Jesus que chama a este ministério e pede a cada um que abraça este serviço uma entrega genuína e responsável.

Durante este ano pastoral, em que as orientações Diocesanas de Pastoral tem como lema “comunidade evangelizada em comunhão missionária”, quisemos não só levar os nossos jovens a viver um pouco este sentido de ser missionário em comunidade, como também as catequistas.

O “Dia C”, que abrange a terceira e quarta etapa da catequese, é um dia em que os jovens de uma paróquia vão ao encontro dos jovens de outra paróquia da ilha. Cada grupo prepara e desenvolve o encontro na sua liberdade e criatividade. Tivemos vigília de oração, terço jovem, visitas aos idosos, filme do Santo do mês, jogos e brincadeiras, foram muitas as iniciativas.

A cada mês deste ano pastoral corresponde um Santo – “o Santo do mês” – que foi escolhido pela equipa da Pastoral Profética, uma maneira de levar os grupos de catequese a conhecerem mais um pouco a vida de alguns santos e a cada vez mais tomarem consciência de que somos chamados à santidade.

Os mais pequenos não foram esquecidos e o “encontro da infância” foi uma grande festa, a 9 de março, no Santuário do Senhor Bom Jesus, com mais de 150 crianças da ilha.

As catequistas foram chamadas a fazer a experiência de missão fora da ilha. A paróquia dos Rosais na ilha de S. Jorge foi o palco para esta missão. Esta foi a carta entregue às catequistas durante a viagem de barco para S. Jorge: “A paz esteja contigo! O Senhor chamou-te pelo nome e quer fazer contigo uma história. Esta missão começou para ti, no dia em que disseste SIM ao Senhor. Nada está programado, o Senhor quer falar-te ao ouvido e ao coração. ESCUTA! Abandona-te na sua graça e confia n`Ele. Deixa-te guiar e sê testemunha do seu amor, amando o outro. Tudo Ele providenciará. Acolhe com alegria tudo o que te acontecer, mesmo que não compreendas, nada acontece por acaso e tudo concorre para a tua salvação. Ser catequista é ser testemunha de um Amor maior. Entrega-te e serás feliz porque descobrirás um tesouro. O SENHOR BASTA-TE!”

O acolhimento na ilha vizinha foi caloroso. Esta iniciativa que teve como título “Missão sem fronteiras”, realizou-se nos dias 22 e 23 de março. Foi verdadeiramente um dia de oração, de partilha, de entrega e confiança. Foi um Sim em muitos sentidos. A cumplicidade e a alegria das catequistas foi evidente, a nossa e a das catequistas que nos receberam. O Senhor transforma verdadeiramente o coração e a vida. Não é preciso fazer grandes coisas mas sim pôr amor em tudo o que fazemos. Afinal é o Senhor Jesus que nos chama e acompanha a cada passo do caminho. Basta Confiar!

A Paz de Cristo nos encha a alma e apazigue o nosso coração.

 

*Catequista da Equipa Coordenadora da Pastoral Profética da Ilha do Pico