Este sábado deixou, de novo, um forte apelo ao sentido de serviço de todos os membros da igreja desde sacerdotes a leigos

Os ministérios de Leitor e Acólito “não servem” para a concretização de projetos pessoais  mas para servir a  comunidade, disse este sábado à tarde o Bispo de Angra durante a instituição de leitores e acólitos na paróquia de Santa Luzia, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

“Tenhamos presente que a palavra ministério significa serviço à comunidade, não para realizar projetos pessoais de afirmação e de domínio, mas sim o desígnio da salvação de Deus, que se realiza em Cristo”, sublinhou D. António de Sousa Braga durante a homilia da concelebração eucarística, que contou entre outros, com o pároco desta paróquia de Angra do Heroísmo, Pe Jorge Mendonça.

D. António de Sousa Braga lembrou, que a instituição de Ministérios assenta num primeiro “chamamento da Igreja” e numa predisposição para anunciar a Boa Nova. E, pediu aos instituídos para serem “fieis e generosos no serviço da comunidade”.

“Como Leitores que proclamam a Palavra de Deus, ides prestar uma grande ajuda, na missão evangelizadora da Igreja”. Por isso, remata o prelado, “quando anunciardes aos outros a Palavra de Deus, recebei-a vós também em docilidade ao Espírito Santo, meditai-a atentamente, para adquirirdes, cada vez mais, o suave e vivo amor da Sagrada Escritura e, com a vossa vida”.

O prelado deixou, também, um repto para que os cristãos “possam viver e crescer livremente participando no ministério da Igreja”.

Já em dezembro, o bispo de Angra durante a ordenação de dois diáconos para a diocese, realçou que o exercício de um ministério em Igreja “não é a tomada de posse de um cargo”.

“É a unção pelo Espirito, que habilita a cumprir a missão confiada” em “fidelidade e alegria”, apontou D. António de Sousa Braga.

O prelado salientou ainda que “os diáconos não são meros militantes de uma causa, por mais nobre que seja” mas são pessoas “ao serviço” de uma “economia da graça realizada em Cristo” e que por intermédio da Igreja chega às comunidades “através de três dimensões”: o “Serviço da Palavra, da Liturgia e da Caridade”, explicitou.

Nessa altura instituiu também um seminarista, no ministério de leitor.

A cerimónia de Instituição no Ministério de Leitores e Acólitos consiste na invocação do Espírito Santo, que Jesus prometeu enviar e envia, para nos ajudar a servir a comunidade.