Prelado diocesano sublinha importância da comunidade na ilha de São Miguel

O Bispo de Angra considera “importante” a troca de experiências entre membros da comunidade Obra de Maria e sacerdotes da diocese de Angra.

O Prelado diocesano participou no inicio desta semana nas celebrações das bodas de prata desta nova comunidade, no Recife, no Brasil onde se encontrou com o seu principal responsável e “esclareceu os contornos da presença e acção da Obra de Maria” na Diocese de Angra.

Esta experiência abarca duas comunidades paroquiais distintas na ilha de São Miguel- uma em Ponta Garça, concelho de Vila Franca do Campo e outra em Rabo de Peixe, no concelho da Ribeira Grande.

A Obra De Maria é uma das comunidades, surgidas no seio da Igreja, no pós-concílio, como forma de Vida Consagrada, que implica vários estados de vida: leigos (solteiros, celibatários e casados), sacerdotes e diáconos.

Está nos Açores desde Outubro de 2010 e este ano vai ter na Diocese de Angra dois sacerdotes. Um deles chega na próxima semana e vai substituir o Pe Jason Gouveia que foi justamente para o Brasil com o intuito de desenvovler um tempo sabático na “Obra de Maria”, de S. Paulo.

Em 2012, outra comunidade de jovens, com o Pe. José Cláudio, iniciou a sua presença e acção em Rabo de Peixe, que, neste Ano Pastoral, vai contar também com a presença de um casal.

A “Obra de Maria” conta com 2.620 membros, em 16 países: Brasil, Israel, Palestina, Portugal, Itália, Vaticano, Angola, Moçambique, Costa de Marfim, Benin, Togo, Cabo Verde, Gana, Paraguai, Bolívia e Argentina.

Tendo como ideal -«evangelizar de todas as formas com alegria» – dedica-se a vários tipos de atividade: retiros, congressos, shows, peregrinações, meios de comunicação, recuperação de dependentes, creches, cultura, artes, desporto, grupos de oração e diversas atividades de tipo social. Tudo com base numa forte espiritualidade mariana.