Com Pe Ricardo Pimentel

Os povoacenses são cristãos “com muito amor à igreja” e embora não sejam muitos os que participam, é “inquestionável a sua dedicação” revela o ouvidor da Povoação, Pe. Ricardo Pimentel reconduzido por mais três anos.

“Vivemos num ambiente muito saudável entre o clero e entre os leigos, porque temos uma excelente equipa laical que não sendo grande é muito empenhada”, refere o sacerdote que chegou a esta ouvidoria há nove anos.

Também a atitude de serviço e “confiança” dominam a relação dos elementos do clero que procuram dividir a sua atividade em três zonas pastorais de acordo com a proximidade geográfica. A Povoação é uma ouvidoria dispersa e “periférica” já que não foi beneficiada com as novas acessibilidades na ilha de São Miguel, conservando a paróquia mais afastada do centro, o Faial da Terra.

“Aqui há uma grande dificuldade em fazer uma pastoral de conjunto”, refere o Pe. Ricardo Pimentel que, no entanto, destaca movimentos como os escuteiros, o CPM ou a ação Católica como exemplares na ouvidoria. Neste último exemplo, refira-se, que a Ribeira Quente é um dos três lugares que mantém na ilha de São Miguel um núcleo ativo da Ação Católica. Acresce um serviço da pastoral juvenil “muito activo e organizado”.

“O pouco que se faz é com muito esforço e não posso deixar de sublinhar o papel dos leigos que é muito importante” refere ainda o sacerdote que considera que “sem os leigos seria muito difícil”.

“Quando aqui cheguei em 2009 encontrei paróquias com muito amor à Igreja” e, para além “de algum comodismo natural” que se verifica também noutras áreas sociais, “a nossa equipa de leigos é muito forte e empenhada”.

“Dedicação e serviço” é o que o ouvidor Pe. Ricardo Pimentel, agora reconduzido, promete aos povoacenses.

Com cinco sacerdotes e seis paróquias e pouco mais de seis mil habitantes, a Povoação é um dos concelhos mais turísticos da ilha de São Miguel.