Com Pe Agostinho Lima.

A catequese e a família são as duas prioridades pastorais da ouvidoria do Nordeste, marcada por “gente boa” mas com “pouca capacidade de liderança” refere em entrevista ao Igreja Açores o ouvidor do Nordeste, Pe. Agostinho Lima.

O sacerdote, que é o ouvidor mais antigo da diocese de Angra, refere que embora o concelho tenha melhorado a sua acessibilidade e existam mais escolas e, consequentemente, oportunidades de formação, a verdade é que em termos de igreja “não houve grande alteração”.

“Não passamos de cinco mil pessoas; a ouvidoria é muito extensa geograficamente falando com paróquias muito pequenas, o que torna muito difícil qualquer trabalho que se queira desenvolver” refere o Pe. Agostinho Lima.

Acresce um envelhecimento acentuado pelo facto dos jovens optarem por outras realidades, mesmo quando há oferta no Nordeste.

“É uma terra com pouca gente e temos muita dificuldade no que concerne à liderança, por isso os nossos movimentos precisam de um grande esforço da nossa parte” precisa lembrando as prioridades da ouvidoria: pastoral familiar e catequese.

“Entendemos que são estes movimentos que devem ser levados muito a sério para correspondermos à missão da igreja” mas para isso “é preciso puxar muito pelas pessoas”.

“As pessoas têm muita qualidade, são pessoas boas e que gostam de colaborar, pessoas bem formadas o que torna tudo mais difícil”, refere.

Os jovens constituem aqui uma preocupação adicional. São poucos e os que residem no Nordeste quando podem saem para Ponta Delgada o que deixa “maiores dificuldades”. De resto o único movimento de juventude que ainda tem alguma expressão é o dos escuteiros, como salienta o sacerdote ouvidor.

“Isto afecta naturalmente a ação pastoral junto da juventude”, adverte deixando também um apelo à família para que pondere a forma como está a educar os seus filhos nos valores da igreja.

“Temos de apostar grandemente na catequese: dizer aos pais que os filhos são deles e têm de acompanhá-los para que eles cresçam na fé” afirma o sacerdote. Curiosamente o Nordeste é a ouvidoria de São Miguel que regista uma maior frequência das aulas de Educação Moral e Religiosa Católica em função do número de matrículas nas escolas do primeiro, segundo e terceiro ciclos e secundário.

A ouvidoria do Nordeste tem dez paróquias e quatro sacerdotes bem como um diácono permanente. Tem uma área de 101 km2.

O município é limitado a sul pelo município da Povoação, a oeste pela Ribeira Grande, e a norte e este, pelo oceano Atlântico. Em termos paisagísticos, é a região melhor preservada ambientalmente.

Sucedem-se lombas, planaltos, altas montanhas, profundos desfiladeiros onde correm ribeiras caudalosas e as pontas de terra. Na Serra da Tronqueira, temos o Pico da Vara – a mais alta montanha da ilha, com 1 105 metros.

O Nordeste é a parte mais antiga da ilha. Os seus vulcões emergiram há 4,1 milhões de anos.