Prelado grava mensagem de esperança a todos os fiéis do Senhor Santo Cristo dos Milagres que este ano não podem celebrar fisicamente esta festa em Ponta Delgada

O bispo de Angra acaba de gravar uma mensagem alusiva à festa do Senhor Santo Cristo dos Milagres que começaria esta sexta feira onde apela a que cada cristão seja o rosto do Senhor junto dos que mais precisam.

“A pandemia vem colocar-nos problemas gravíssimos. Por isso, nesta hora junto do Senhor gostaria de ter presente os que são vitimas: os doentes, os familiares, os que sofrem com os entes queridos e que não puderam despedir-se deles, os desempregados, os que padecem fome, e isso já acontece, e que exige de nós cristãos um sinal de esperança porque somos o rosto visível de Jesus Cristo, somos o rosto visível  do Senhor Santo Cristo”, refere D. João Lavrador numa mensagem dirigida a todos os devotos do Senhor Santo Cristo cujas festas deveriam começar na sexta feira e seriam presididas pelo Cardeal D. José Tolentino Mendonça.

“Que tenhamos ainda mais esta presença e que consigamos todos em comunidade trazer aos outros o amor, a verdade e a esperança do Senhor para que a ninguém falte o necessário” esclarece ainda sublinhando que “a partilha e o amor são a solução, sobretudo nestes tempos de grande fragilidade”.

Numa mensagem dirigida aos que vivem no “arquipélago dos Açores ou na diáspora”,  o prelado diocesano pede que esta festa seja celebrada espiritualmente, “unindo-nos ao Santo Cristo dos Milagres tentando memorizar e contemplar a sua imagem tão significativa, naquele olhar que connosco caminha, nos olha e nos acompanha em todas as situações em que nos encontremos com serenidade e verticalidade”, referiu.

O bispo de Angra destaca, por isso, que este momento é “oportuno para fortalecer esta relação com o Senhor Santo Cristo”.

“É natural que cada um de nós chegue perto dele para lhe trazer o agradecimento pelas graças concedidas, pela Sua presença de amor e que por vezes nem damos conta” diz D. João Lavrador, mas muitos “também trazem as suas dores.

“Que tenhamos ainda mais esta presença e que consigamos todos em comunidade prosseguir na atenção de uma maneira próxima com os excluídos e os que sofrem mais”, afirma.

As festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres são as mais importantes festas religiosas dos Açores, a par do Espírito Santo, mobilizando milhares de peregrinos a Ponta Delgada no quinto domingo do ano a seguir à Páscoa. Este ano devido à pandemia da Covid-19 não se realizarão, facto inédito em 320 anos. Ainda assim, o Santuário preparou alguns momentos para assinalar a festa.

O primeiro será já na quinta-feira, altura em que haveria a habitual conferência de imprensa de apresentação da capa e do programa das festividades. A imagem não sairá mas o reitor do Santuário, cónego Adriano Borges, adianta que a capa que foi preparada para sair este ano será apresentada na mesma , tal como a corda que a imagem sustem nos braços  e que foi restaurada por se encontrar muito danificada.

No domingo, dia 17, altura em que a imagem sairia para a procissão solene e para a missa campal no Campo de São Francisco, será celebrada uma missa que terá transmissão pela RTP Açores, Canal 1 da RTP e RTP Internacional a partir das 9h30, hora dos Açores. Além disso, a imagem poderá ser seguida diariamente em senhorsantocristo.com

Segundo os dados históricos disponíveis, a primeira procissão em honra do Santo Cristo dos Milagres teve lugar em Ponta Delgada, em 11 de abril de 1700, ano em que a ilha de São Miguel foi abalada por fortes sismos.

Nessa altura, as forças vivas da sociedade mobilizaram-se e dirigiram-se ao Mosteiro da Esperança para levarem, em procissão, a imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres.

A imagem do Santo Cristo só sai da Igreja para acompanhar a procissão nas festas, mas saiu excepcionalmente, em maio de 1991, para o Campo de São Francisco durante a visita do papa São João Paulo II aos Açores.