Prelado insular deixa mensagem para o Dia Diocesano da Família, que se assinala no domingo

A Mensagem para o Dia Diocesano da Família intitulada “Família: comunidade evangelizada em comunhão missionária” apela a que a nova evangelização seja orientada para a família, cujo valor e missão é decisivo para o progresso das comunidades.

O bispo de Angra sublinha a importância da igreja ensinar o valor da Familia, baseada no modelo da Família de Nazaré, e reconhece que hoje, analisando a cultura contemporânea, “não é difícil descobrir-se a necessidade urgente de uma nova evangelização orientada para a família”.

“Não estamos tão só perante alguns fatores que atacam o matrimónio e a família, na verdade verifica-se, em muitas faixas da nossa sociedade, um desconhecimento do seu valor, dos seus fundamentos e da sua missão” refere o prelado diocesano na Mensagem especialmente elaborada para todas as famílias diocesanas que, este domingo, são convidadas a renovar os votos de amor e fraternidade em todas as celebrações principais da diocese.

“A Sagrada Familia de Nazaré é o modelo de toda a família” esclarece destacando os seus fundamentos: “a aliança de amor e fidelidade, vivida pela Sagrada Família de Nazaré, ilumina o princípio que dá forma a cada família e a torna capaz de enfrentar melhor as vicissitudes da vida e da história” afirma o bispo de Angra citando o Papa Francisco na Exortação Pós-sinodal “A Alegria do Evangelho”.

Aliás, acrescenta, “sobre este fundamento, cada família, mesmo na sua fragilidade, pode tornar-se uma luz na escuridão do mundo”.

D.João Lavrador pede mesmo às famílias diocesanas que se inspirem neste modelo, a partir do qual se “aprende uma lição de vida familiar” através da “comunhão de amor, da sua austera e simples beleza, do seu carácter sagrado e inviolável”.

“Aprendamos de Nazaré como é preciosa e insubstituível a educação familiar e como é fundamental e incomparável a sua função no plano social”.

Apresentando a família como a Igreja doméstica,  e a igreja como a “família das famílias”, o prelado destaca, a “relação intrínseca entre a comunidade familiar e a comunidade paroquial”. Por isso, diz, “ambas são convidadas a acolher os dinamismos evangelizadores que fazem crescer e amadurecer os seus membros na fé, através do anúncio, da celebração dos mistérios da fé e da partilha fraterna”, pois o “amor vivido nas famílias é uma força permanente para a vida da Igreja”.

D.João Lavrador termina a mensagem sublinhando o trabalho desenvolvido no âmbito da pastoral familiar na diocese de Angra e dá graças, no contexto desta festa tão significativa para a Igreja e para a família, “por tantas famílias que, mesmo no meio de provações e obstáculos continuam a responder com generosidade ao apelo de Deus e colocam todos os meios para caminhar nas sendas do amor conjugal e familiar que, apesar das dificuldades, é fonte de alegria”.

“Igualmente devemos ter presentes todas as famílias que sofrem e nos interpelam convidando-nos ao acolhimento, acompanhamento, integração e à partilha” esclarece desafiando cada comunidade paroquial da diocese a intensificar “o papel evangelizador da família e se empreenda, criativamente, uma verdadeira pastoral familiar que integre a preparação para o matrimónio, a sua digna celebração, o acompanhamento dos casais e o acolhimento e integração da fragilidade matrimonial”.