Números de 2014 representam recorde na história da organização católica

A fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) conseguiu angariar um valor global superior a 105 milhões de euros em donativos, no ano de 2014, ultrapassando pela primeira vez a fasquia dos 100 milhões.

Catarina Martins, diretora da Fundação AIS em Portugal, sublinhou a importância destes valores, “que representam a consolidação do trabalho desenvolvido, apesar da crise económica em que o nosso país continua mergulhado”.

Em comparação com o ano de 2013, este valor representou um acréscimo global de cerca de 17 milhões de euros; também Portugal registou um crescimento face aos anos anteriores, obtendo cerca de 2,2 milhões de euros em donativos.

Catarina Martins saúda “a generosidade dos benfeitores portugueses”, que se sentiram “particularmente tocados com a situação terrível em que se encontram milhares de cristãos no Médio Oriente”.

A nível internacional, as doações obtidas pela Fundação AIS permitiram apoiar um total de 5614 projetos pastorais em 145 países.

“Em 2014, parte considerável desta ajuda destinou-se ao apoio direto às comunidades cristãs do Próximo e Médio Oriente, onde centenas de milhares de pessoas, sobretudo no Iraque e na Síria, têm sido flageladas pela guerra e pelo avanço da organização terrorista autodenominada de «Estado Islâmico»”, assinala uma nota de imprensa enviada hoje à Agência ECCLESIA.

2 milhões de euros foram canalizados para a construção de oito escolas pré-fabricadas para crianças refugiadas nas cidades iraquianas de Erbil e Dohuk.

Em 2014, praticamente um terço da ajuda prestada pela AIS foi para a África, onde a Igreja se debate com cenários de extrema pobreza, falta de infra-estruturas e, principalmente, com conflitos armados e a ameaça de organizações terroristas.

Os recursos angariados a nível internacional pela fundação pontifícia foram utilizados igualmente no apoio a quase 10 mil seminaristas; em 2014 foram oferecidos 1 219 063 estipêndios de Missas aos sacerdotes em todo o mundo.

Fundada em 1947 pelo Padre Werenfried van Straaten, que se inspirou na mensagem de Fátima, a Fundação AIS é uma organização dependente da Santa Sé que tem como objetivo apoiar projetos de cunho pastoral em países onde a Igreja Católica está em dificuldades.

CR/Ecclesia