Iniciativa “arrojada”, dinamizada pela pastoral juvenil no Relvão, em Ponta Delgada, mobilizou jovens de todas as idades

Os jovens de São Miguel aderiram em número expressivo à I edição do festival “Jesus Summer Fest”, dinamizado este sábado pelo Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil de Angra.

Os jovens, e menos jovens, participaram durante todo o dia nas diversas atividades, em “ ambiente de muita alegria, festa, com sentimentos de sermos Igreja e com a certeza da presença amorosa de Deus” adianta uma nota enviada ao Igreja Açores.

“A Pastoral Juvenil Diocesana faz, ao final desta I edição do`Jesus Summer Fest´, um balanço verdadeiramente positivo” dizem os responsáveis sublinhando que se tratou de “ um projecto ousado e corajoso atendendo a que, nestes tempos de Verão são muitos os festivais que se apresentam aos jovens, com outro tipo de ofertas bem diferentes, talvez, bem mais ao gosto e satisfação da maioria dos jovens.”

“Foi um projecto arrojado na forma e no conteúdo, nas propostas e vivências. Este Festival foi a certeza de que a Igreja ama os jovens, interessa-se por eles, pelos seus gostos e vivências e quer proporcionar-lhes verdadeiras experiências de vida, fraternidade, alegria e comunhão”, adianta ainda a nota do Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil da diocese de Angra.

“ O `Jesus Summer Fest´, mais do que “trazer” jovens foi a confirmação de que a Igreja também sabe fazer o que os jovens gostam e sabe proporcionar-lhes espaços de encontro, vivências, partilhas e espiritualidade” esclarece ainda a nota.

Num dia repleto de sol, refrescado pelo arvoredo, o Relvão, em Ponta Delgada transformou-se num verdadeiro “palco de emoções e vivências”.

O `Jesus Summer Fest 2019´ iniciou com um momento de oração, adoração e escuta da Palavra de Deus, na Tenda da Oração, na qual Jesus Eucaristia esteve presente todo o dia, tendo sido um dos espaços mais frequentados pelos jovens. Ao lado estava a Tenda da Reconciliação onde, durante todo o dia, os jovens puderam celebrar o sacramento da reconciliação, estando, para tal, disponíveis diversos sacerdotes.

A manhã foi preenchida com desporto através de diversos exercícios físicos numa bem montada “pista de obstáculos.

Após o almoço, e “num gesto verdadeiramente integrador, fomentando o quebrar de estigmas, e derrubar de barreiras”, a animação esteve a cargo da Marcha Popular da Casa de Saúde de Nossa Senhora da Conceição. Os jovens puderam interagir com diversas utentes daquela unidade de saúde, o que se revelou uma mais valia.

A tarde desta I edição do `Jesus Summer Fest´ foi preenchida com diversos workshops, da música, ao teatro, passando pelo folclore, pela vulcanologia (ciência tão ligada aos Açores), língua gestual portuguesa, voluntariado, aikido e artes circenses, “um tempo de enriquecimento e de crescimento”. De referir que todos os workshops tiveram como ponto de partida uma passagem Bíblica.

À festa não podia faltar uma boa dose de Zumba, muito apreciado pelos jovens que, ao som de músicas de inspiração cristã e de mensagem puseram jovens e menos jovens a “mexerem-se”.

Como cristão e Igreja, ao festival não podia faltar a celebração da Eucaristia na qual os jovens participaram de forma muito ativa, apresentando alguns dos resultados dos diversos workshops.

Ao anteceder o grande concerto da Banda Jota, animou musicalmente, com diversas mensagens bíblicas e testemunhos de vida do cantor Anderson Ouro Preto . “Foi uma perfeita simbiose entre a música e a oração”, sublinha a organização.

A noite, e o Festival, terminaram com a atuação do DJ Priest, num arremate em música eletrónica.

Ao longo de todo o Festival os jovens puderam contactar com a Associação Ancorar, que promoveu a saúde mental e os bons hábitos de vida, e com a Associação de Dadores de Sangue que fez uma verdadeira acção de sensibilização no que toca à “partilha” da vida através da dádiva de sangue. Presente também esteve uma médica que durante o Festival fez despiste da obesidade, tendo, também, promovido bons hábitos de alimentação.

“Este foi um Festival “saudável” onde, a par da espiritualidade se promoveu a saúde, física e mental, ficando manifesto que os jovens podem divertir-se sem recorrerem ao consumo de álcool ou de substâncias psicotrópicas”, conclui a organização.