Obra retrata a vida e a história dos 161santuários portugueses (116 marianos, 27 cristológicos e 18 dedicados a santos e santas)

O primeiro livro com a história e a descrição dos 161 santuários existentes em Portugal- “Santuários de Portugal- Caminhos de fé”- da autoria de Maria do Rosário Barardo, foi lançado esta quinta feira à noite em Ponta Delgada, no arranque das Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres.

“Foi um trabalho árduo, de muita paixão”, iniciado em 2007, depois de quase 20 anos de “amadurecimento de uma ideia” que passava por “contar de forma simples e acessível a história e as vivências dos Santuários Portugueses”, disse ao Sítio Igreja Açores a autora do livro.

A principal dificuldade foi a “inexistência de estudos ou teses aprofundadas” sobre a maioria dos Santuários cuja história “permite estabelecer uma compreensão do passado, do presente e de uma moldura memorial que estes templos desenham, para crentes e não crentes, sobretudo para estes”, refere ainda Maria do Rosário Barardo.

“Estou convencida que o resultado final vai permitir compreender as manifestações de piedade popular e perceber como nelas subjazem autênticos tesouros de fé e seculares tradições”, conclui.

O livro tem cerca de 700 páginas, está organizado em 20 capítulos (tantos quantas as dioceses, incluindo as Regiões Autónomas, nomeadamente as dioceses de Angra e Funchal) e, cada capítulo contém o mapa da respetiva diocese, com o nome e a localização dos santuários, apresentando em algumas delas referências a outros locais de culto existentes, que o povo considera santuários, mas que nunca foram canonicamente reconhecidos.

A metodologia usada para descrever cada santuário é igual para os 161 descritos nesta obra, publicada pela Editora Paulinas, com os seguintes capítulos: localização, memória de culto, descrição e festividades.

A apresentação do livro decorreu na Igreja do santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres, em Ponta Delgada e foi feita pelo reitor do Santuário do Senhor Bom Jesus do Pico, e ouvidor eclesiástico da ilha montanha, Pe Marco Martinho.

O apresentador deteve-se particularmente no capítulo (o segundo) dedicado aos santuários da diocese de Angra, todos criados nos séculos XX e XXI, pelos últimos três Bispos diocesanos- Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres (1959); Santuário Diocesano do Senhor Bom Jesus Milagroso do Pico (1962); Santuário Diocesano de Nossa Senhora da Conceição de Angra (1987); Santuário do Santo Cristo da Caldeira em São Jorge e o Santuário de Nossa Senhora dos Milagres, na Serreta, ilha Terceira (2006).

“Espero que os caminhos dos santuários da nossa diocese se unifiquem, numa pastoral de conjunto e na programação de atividades comuns”, disse o Pe Marco Martinho sublinhando que “além da vivência da religiosidade própria de cada santuário, os mesmos terão que ser um foco de sã espiritualidade, de pastoral efetiva e de formação cristã de excelência” o que “só será possível através de audazes e dinâmicas lideranças”, concluiu.

Na apresentação do livro estiveram igualmente presentes a responsável pela Editora Paulinas, a Irmã Eliete Duarte e o Vigário Episcopal para a ilha de São Miguel que representou na cerimónia o reitor do santuário do Senhor Santo Cristo, ausente por motivos de saúde.

A responsável pela editora frisou o “compromisso e a exigência” subjacentes a esta obra que espera possa vir a ser “uma referência”.

O livro que demorou três anos a ser feito é uma edição a quatro cores, em papel couchet e pesa 2,5kg. Estará à venda a partir desta sexta feira.

É o segundo lançamento nacional que a editora faz nos Açores. O primeiro aconteceu há quatro anos com o livro “Flor de amendoeira” do açoriano Pe António Rego.