Programa para esta quadra, na ouvidoria, arrancou com a Novena de Natal

A Ouvidoria da Horta quer que este Natal seja centrado no “essencial” e por isso desafia os cristãos a uma verdadeira conversão interior alheada “às doenças que afetam as comunidades”. Entre elas estão a “desintegração galopante das nossas famílias, dificuldade na educação das novas gerações, dificuldades económicas e ausência de valores morais e éticos, demissão dos pais no acompanhamento dos filhos, falta de cuidados primários em alguns sectores da sociedade, falta de trabalho e de uma habitação condigna para algumas famílias, etc… tudo isto são problemas e chagas sociais perante as quais a Igreja não pode ficar alheia e de braços cruzados” refere o ouvidor da Horta num artigo publicado aqui no sítio Igreja Açores sobre o Advento.

O Pe. Marco Luciano Carvalho sublinha que “Para uma boa vivência do Natal, tenhamos presente a necessidade de nos abrirmos a um caminho de conversão, que nos faz ver para além das iluminações do Natal, que nos faz escutar para além das músicas natalícias colocadas nas zonas de comércio das nossas cidades e que nos faz agir para além das acções esporádicas de caridade sujeitas a um tempo específico do ano”.

“A necessidade de fazer Advento lembra-nos a urgência de pararmos e nos abstrairmos daquilo a que o mundo nos tem convidado e a não perdermos de vista o essencial deste tempo, que nos convida a um verdadeiro e importante encontro com Cristo, a principal razão de ser do Natal” destaca ainda o sacerdote que preparou uma série de iniciativas para a vivência desta quadra.

A novena de Natal começou este domingo, dia 15 de dezembro, em várias paróquias da ilha, e no dia 22 de dezembro haverá a entrega de cabazes de Natal a famílias carenciadas, uma iniciativa partilhada pela pastoral social e a pastoral juvenil da ilha. Além das celebrações de Natal, no dia 24 e no dia 25, o destaque vai para o Concerto de Natal pelo Coral de Santa Catarina, que no dia 30 de dezembro oferecerá a toda a ouvidoria um concerto que conta com a participação de vários músicos, entre eles a soprano Sónia Machado. A festa do natal nesta ouvidoria termina a 6 de janeiro, dia de Reis e dia do Santíssimo Salvador da Horta, patrono da Matriz desta cidade.

“Neste tempo, somos convidados à vigilância e à alegre expectativa do Senhor que continua a vir à nossa história e a conduzir a sua Igreja pelos caminhos da Vida e da Esperança” refere ainda o sacerdote que apela à participação dos fieis nos vários momentos celebrativos desta quadra.

“Estas verdades não podem ser vividas apenas e só como um conteúdo doutrinal, mas como pilares que nos devem inspirar e dar sentido à nossa vida” destaca ainda lembrando que só com a verdadeira conversão interior, os cristãos podem ser “missionários dessa Boa Nova de verdade, anunciadores de que a vinda de Cristo está próxima, por palavras e com o testemunho de quem vive essa certeza”

“É, sobretudo, num tempo de `crise de fé´, de falta de horizontes de uma Igreja desmotivada e arrefecida, de aparente vitória do consumismo sobre a mensagem do verdadeiro Natal, que se torna mais urgente acender e renovar o ânimo da esperança cristã”, conclui o Pe. Marco Luciano Carvalho.