Apenas as missas  e os funerais se mantém dentro das regras que estão definidas e articuladas entre a Igreja açoriana e a autoridade de saúde regional

Todas as celebrações religiosas que facilitem os ajuntamentos de fiéis como Primeiras Comunhões, Profissões de fé, Batismos, Casamentos, festas e procissões quaresmais, estão suspensas desde ontem em todas as paróquias da ouvidoria da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel.

A decisão do ouvidor, “depois de ouvido todo o clero” e, seguindo o espirito dos apelos do Vigário Episcopal para a vigararia nascente,  determina ainda que a catequese estará suspensa em toda a ouvidoria até que as escolas reabram, com aulas presenciais e as visitas aos doentes também permanecem suspensas, embora em caso de urgência possam ser contactados os respetivos párocos.

Esta orientação surge no seguimento do agravamento da situação pandémica na maior ilha do arquipélago, especificamente na freguesia de Rabo de Peixe. Nas últimas 24 horas registaram-se mais 132 novos em São Miguel, 131 estão relacionados com transmissão comunitária e o outro caso positivo diz respeito a um residente com histórico de viagem e análise de rastreio ao sexto dia.

Nesta ouvidoria fica igualmente adiada para depois da Páscoa o Curso de Preparação para o Matrimónio.

O ouvidor, padre Vítor Medeiros, na nota enviada a toda a ouvidoria, a que o Sitio Igreja Açores teve acesso,  apela ainda à responsabilidade “individual e comunitária neste tempo de fragilidade”.

Estas medidas serão reavaliadas após a Páscoa.

Existem atualmente 848 casos positivos ativos na Região, sendo 801 em São Miguel, 42 na Terceira, três no Faial e dois nas Flores. Há 24 internamentos, sendo 21 na ilha São Miguel, no Hospital do Divino Espírito Santo em Ponta Delgada (cinco em Unidade de Cuidados Intensivos); e três na ilha Terceira, no Hospital de Santo Espírito em Angra do Heroísmo (dois dos quais em Unidade de Cuidados Intensivos).