Novas tecnologias ajudam a partilhar reflexões

Três dias depois de terem sido suspensas as celebrações comunitárias na diocese de Angra são inúmeros os contributos que os sacerdotes insulares dão às suas comunidades, ajudando-as a refletir sobre a Palavra de Deus em casa e em família.

As novas tecnologias têm sido utilizadas de forma, mais ou menos criativa, para orientar os açorianos na oração e na escuta e reflexão sobre a Palavra de Deus.

Além da oferta diária que o Vaticano faz através do Vatican News todas as manhãs, a partir das 10h00 (hora dos Açores) ou o Santuário de Fátima, à mesma hora, com a missa (neste mesmo espaço pode acompanhar mais uma missa às 18h15 e dois momentos de terço, ás 17h30 e 20h30, hora dos Açores), os sacerdotes açorianos estão a disponibilizar nas suas redes sociais reflexões e meditações sobre a palavra de Deus, meditação do rosário, momentos de música e adoração.

O padre José Claudio, em Rabo de Peixe, na paróquia do Bom Jesus, todos os dias promove momentos de oração e cânticos que podem ser  acompanhados em direto.

Também o padre Marco Luciano, das paróquias do Santíssimo Salvador, na Horta e Flamengos, disponibiliza vários momentos, inclusive a eucaristia que pode ser seguida através da página do facebook.

Na ilha Terceira, o Santuário da Serreta, disponibiliza reflexões sobre a Palavra de Deus, tal como os padres Nemésio Medeiros (Matriz de São Sebastião, Ponta Delgada), Nuno Maiato (Santa Cruz da Lagoa, ilha de São Miguel) e José Júlio Rocha (Porto Martins e Fonte Bastardo, ilha Terceira).

Nos Açores estão, as celebrações litúrgicas comunitárias como missas, procissões, lausperenes e outros atos de culto público foram suspensos na passada segunda-feira, dia 16 de março, até pelo menos dia 3 de abril, altura em que está prevista uma reavaliação da situação pela Cúria.

Ficaram, também, “sem efeito” as celebrações do sacramento da confirmação ou crisma que estava a decorrer na ilha de São Jorge, bem como a visita pastoral ordinária do Bispo diocesano àquela ilha.

Foram ainda canceladas as celebrações comunitárias ou privadas do sacramento da penitência ou da reconciliação, “a não ser por pedido explícito e necessário do penitente e salvaguardadas as devidas distâncias do confessor” e são suspensas as visitas dos párocos e ministros extraordinários da comunhão aos doentes, quer domiciliárias e a lares, refere ainda o comunicado.

Ficaram, igualmente, adiadas as celebrações comunitárias dos sacramentos do batismo e do matrimónio, ou “em caso de necessidade absoluta” que serão restritas apenas aos familiares diretos sem a participação de convidados.

Relativamente aos funerais, a diocese determina que  devem evitar-se os velórios com muita gente, devendo apenas estar presentes os familiares mais diretos do defunto. Ficam também suspensas as missas exequiais ou de corpo presente, de 7º. 30º. dia e de aniversário, até indicações em contrário.

“Esperamos fazer a avaliação desta situação até ao dia 3 de abril, de tal maneira que possamos celebrar a Semana Santa e a Páscoa comunitariamente, se as condições de saúde pública assim o permitirem” avança o Vigário-geral que, no entanto, alerta para a possibilidade do rito do lava-pés em 5ª. feira-santa, bem como a adoração da cruz em 6ª. feira-santa poder ser feito mas por uma genuflexão ou inclinação e não por osculação. Não é aconselhável a procissão da Ressureição aos enfermos, diz ainda o comunicado.

“Aconselhamos os sacerdotes diocesanos a celebrarem a Eucaristia ao domingo e em dias de semana, ainda que de um modo particular, sem celebração comunitária. Aos demais fiéis, pede-se que acompanhem a celebração da Eucaristia dominical pelos meios de comunicação social ou pela internet, devendo estes manter as transmissões caso tal seja possível. Intensifique-se a vida de oração em casa, biblicamente alimentada, a escuta da criação e da natureza, a atenção familiar, o jejum dos excessos e a esmola de cuidar dos mais frágeis, como é próprio deste tempo da Quaresma ” refere o comunicado.

Ponto de situação atual

De acordo com a Agência Lusa, os Açores mantêm apenas um caso confirmado de Covid-19, mas aguardam pelos resultados de oito casos suspeitos, incluindo dois cuja primeira análise foi inconclusiva, revelou  a Autoridade de Saúde Regional.

“Dos 10 casos suspeitos, verificámos que oito deles apresentaram resultados negativos e dois apresentaram resultados inconclusivos e por essa via foram recolhidas novas amostras biológicas para análise laboratorial, das quais aguardamos resultados”, avançou o responsável pela Autoridade de Saúde Regional dos Açores, Tiago Lopes, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo.

Os dois casos com resultado inconclusivo estão relacionados com o único caso positivo confirmado até ao momento: uma mulher de 29 anos, residente na ilha Terceira, que terá estado em Amesterdão, na Holanda, e em Felgueiras, no continente português.

Entretanto surgiram outros oito casos suspeitos, dos quais dois tiveram resultados negativos, “quatro aguardam resultados e dois aguardam colheita”.

Segundo Tiago Lopes, que é também diretor regional da Saúde dos Açores, há atualmente 430 pessoas em vigilância ativa na Região Autónoma dos Açores, mais 19 do que na segunda-feira.

O caso positivo confirmado e outros três casos suspeitos estão internados no Hospital Santo Espírito da Ilha Terceira, havendo também um caso suspeito internado no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada (São Miguel).

Na noite de segunda-feira, foi retirada uma utente da ilha de São Jorge para o Hospital da Ilha Terceira, por suspeita de infeção pelo novo coronavírus.

O resultado das análises ainda não é conhecido, mas as autoridades de saúde da ilha “estão a proceder ao rastreio de todos os contactos próximos”, para “despistar outros casos suspeitos que possam vir a acontecer”.

O responsável pela Autoridade de Saúde Regional dos Açores revelou ainda que os três hospitais da região estão a preparar-se para terem uma área exclusiva para triagem de doentes respiratórios.

Questionado sobre as medidas que serão tomadas no Conselho de Estado, que se reúne quarta-feira, Tiago Lopes disse que as autoridades dos Açores aguardam pelos resultados “com alguma expectativa”, alegando que “a situação em território continental é deveras preocupante”.

“Creio que atendendo aos desenvolvimentos que têm ocorrido nos últimos dias em território continental, serão efetivamente de tomar medidas excecionais”, afirmou.

Quanto à possibilidade de encerramento dos aeroportos nos Açores, o responsável pela Autoridade de Saúde admitiu que “poderá estar em equação”, mas disse que “o Conselho de Estado será soberano na decisão que tomar”.

O Governo Regional dos Açores, enquanto acionista do Grupo SATA, determinou a concentração da atividade operacional da Azores Airlines – que opera de e para fora da região – no aeroporto de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, bem com a suspensão do contrato de ligações aéreas de “todas as ilhas dos Açores” para a Terceira “e desta para todas as outras ilhas”.

Questionado sobre a possibilidade de serem suspensas outras ligações inter-ilhas, Tiago Lopes disse que “tudo depende do evoluir da situação”.

“Já temos uma medida adicional aplicada à ilha Terceira, atendendo à existência deste primeiro caso positivo. Não invalida que consoante o andar dos acontecimentos sejam também aplicadas outras medidas excecionais a outros contextos”, afirmou.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 189 mil pessoas, das quais mais de 7.800 morreram.

Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 81 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 146 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje número de casos confirmados de infeção para 448, mais 117 do que na segunda-feira, dia em que se registou a primeira morte no país.

(Os Sacerdotes diocesanos que têm página no Facebook e partilhem de forma sistemática celebrações ou reflexões sobre a Palavra de Deus podem partilhá-las em https://www.facebook.com/igrejaacores/)