Primeiro encontro estava marcado para este sábado na ouvidoria das Flores

As igrejas JMJ estão escolhidas e as equipas locais e diocesana também, mas a pandemia voltou a impedir a realização do primeiro encontro da iniciativa “Mês a mês até 23” previsto para hoje na igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, nas Flores.

“Devido à pandemia, e porque queremos que o encontro seja presencial, entendeu-se que não estavam reunidas as condições para fazer este encontro e por isso tivemos de o adiar” referiu ao Igreja Açores o padre Nuno Fidalgo, responsável pela pastoral juvenil na ilha do ocidente.

“O encontro teria como fim falar, pensar, meditar nas Jornadas e no que temos para fazer, mas não estão reunidas as condições para este tipo de encontros” esclareceu ainda o sacerdote que também já se viu obrigado a adiar a execução do mural alusivo à Jornada Mundial da Juventude, que se realizará em Lisboa, em agosto de 2023.

O Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil já disponibilizou as catequeses e também a iniciativa Capacita-te, destinada aos agentes jovens de pastoral, que será ministrada exclusivamente online e que visa formar todos os jovens que vão participar e dinamizar esta caminhada até à Jornada de Lisboa.

A JMJ é uma iniciativa do Papa, iniciada por São João Paulo II e realizou-se em janeiro de 2019 no Panamá pela última vez. Estava prevista para 2022 mas devido à situação pandémica que o mundo atravessa foi adiada para o ano seguinte.

Nos Açores existem 30 Igrejas eleitas Igrejas JMJ onde decorrerão iniciativas preparatórias da Jornada em Lisboa.