O Papa associou-se hoje à celebração do Dia Internacional da Paz convocado pela ONU, com uma mensagem publicada na sua conta no Twitter.

“Devemos procurar uma fraternidade real, baseada na origem comum de Deus. O desejo de paz está profundamente inscrito no coração do homem e não devemos resignar-nos com nada que seja menos que isso”, escreveu Francisco.

A fraternidade será o tema da encíclica que o pontífice vai assinar a 3 de outubro, junto ao túmulo de São Francisco de Assis, na Itália, cujo título é ‘Fratelli Tutti’.

As Nações Unidas escolheram como tema para a celebração deste 21 de setembro o tema “Moldar a Paz Juntos”.

Em mensagem de vídeo, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que a data procura “a apelar às partes beligerantes, em todos os lugares, a depor as armas e a trabalhar em prol da harmonia”.

“À medida que a pandemia de Covid-19 continua a assolar o mundo, este apelo é mais importante do que nunca”, referiu o responsável português.

A semana de alto nível da Assembleia Geral da ONU vai começar esta terça-feira, sendo esperada uma mensagem do Papa pelos 75 anos das Nações Unidas, de acordo com informação do porta-voz do Vaticano.

A Cáritas Internacional também se associou ao Dia Internacional da Paz, alertando para “a guerra e a violência no mundo inteiro, especialmente no Médio Oriente”.

Em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, a organização católica pede a eliminação das sanções económicas contra a Síria e convida os responsáveis políticos a “promover a paz nas áreas de conflito, garantindo a ajuda internacional ao desenvolvimento” e a promoção do diálogo inter-religioso.

(Com Ecclesia)