O Papa convidou hoje a redescobrir o valor do silêncio, na preparação para o Natal, falando durante a audiência pública semanal, no Vaticano, que dedicou à figura de São José.

“Com os olhos voltados para a gruta de Belém, onde José e Maria, em silêncio, esperam com amor o nascimento do Menino Jesus, aprendamos a acabar com os silêncios cúmplices e com as palavras que minam a caridade, para estar perto de quem sofre e precisa de ser acolhido, reconhecido, protegido e amado”, disse, perante os peregrinos reunidos no Auditório Paulo VI.

Francisco desafiou os católicos a “imitar o exemplo de São José”, nestes últimos dias do Advento, tempo de preparação para o Natal no calendário litúrgico da Igreja Católica.

“Procuremos adotar uma atitude de silêncio e escuta, para estarmos prontos para receber a Palavra eterna do Pai, o seu Filho encarnado, Jesus Cristo”, declarou.

Na sua catequese semanal, o Papa sustentou que é importante pensar no silêncio, “nesta época em que parece ter pouco valor”.

“O silêncio de José não é mutismo; é um silêncio cheio de escuta, um silêncio laborioso, um silêncio que faz emergir a sua grande interioridade”, acrescentou.

Como seria bom se cada um de nós, seguindo o exemplo de São José, conseguisse recuperar esta dimensão contemplativa da vida, aberta precisamente pelo silêncio. Mas todos sabemos por experiência própria que não é fácil: o silêncio assusta-nos um pouco, porque nos pede para entrarmos em nós mesmos e encontrarmos a parte mais verdadeira de nós”.

Francisco afirmou que “muita gente tem medo do silêncio”, exemplificando com a busca incessante do telemóvel, no dia a dia, e muitos vivem presos em “milhares de vozes de preocupações, tentações, desejos e esperanças”.

A intervenção aludiu ainda às doenças das palavras, como a adulação, jactância, mentira, maledicência, calúnia.

“Pensemos um pouco nas vezes em que matamos, com a língua”, recomendou.

Como tem sido habitual neste ciclo de catequeses, o Papa despediu-se com uma oração dedicada a São José.

No final da audiência, Papa dirigiu uma saudação aos peregrinos de língua português.

“Aproximamo-nos do Natal. Como São José, convido-vos a contemplar no silêncio o mistério da Palavra Eterna de Deus feita homem por nós e pela nossa salvação. Na nossa pobreza, Deus veio a nós. Desça sobre todos vós a sua bênção”, disse.

(Com Ecclesia)