O Papa deixou hoje votos de “tempo sereno de descanso” a todos os que vão iniciar férias, com os cuidados devidos por causa da pandemia, na última audiência geral antes da tradicional pausa de verão.

“Apesar de todas as medidas de segurança ligadas à ameaça de contágio do coronavírus, que este seja um tempo sereno de descanso, de gozo da beleza da criação e de reforço dos laços com os homens e com Deus”, disse, na biblioteca do Palácio Apostólico, numa cerimónia com transmissão online.

Francisco desejou que o tempo de férias possa ser de “serenidade” e uma “ocasião para contemplar Deus na obra-prima da sua criação”.

No último domingo, o pontífice tinha referido que a pandemia deu à humanidade a possibilidade de refletir sobre a sua relação com a natureza.

“O confinamento reduziu a poluição e fez-nos redescobrir a beleza de muitos lugares livres do tráfego e do barulho. Agora, com o regresso das atividades, todos nós deveríamos ser mais responsáveis no cuidado da Casa Comum”, desejou.

As audiências gerais de quarta-feira vão estar suspensas durante o mês de julho, em que a agenda do Papa é mais leve, continuando a presidir à recitação dominical do ângelus, na Praça de São Pedro.

De 6 a 31 de julho, a Santa Sé vai oferecer uma colónia de férias aos filhos dos seus funcionários, dentro do Auditório Paulo VI – habitualmente fechado nesta altura – e também com visitas guiadas pelos Jardins do Vaticano, numa iniciativa pedida pelo Papa e animada pela comunidade local dos Salesianos.

(Com Ecclesia)