Por Igreja Açores

“É um grave pecado desdenhar ou desprezar os dons que o Senhor concedeu a outros irmãos, pensando que estes sejam de algum modo menos privilegiados, aos olhos de Deus. Se alimentarmos tais pensamentos, consentimos que a própria graça recebida se torne fonte de orgulho, injustiça e divisão. E então como poderemos entrar no Reino prometido?”, disse o Papa durante uma oração ecuménica a que presidiu na Basílica de São Paulo fora de muros, em Roma.

A celebração reuniu representantes das Igrejas e comunidades cristãs presentes em Roma, para rezar pelo “dom da unidade”. O Papa deixou votos de que todos os cristãos reconheçam os “dons dos outros”, para caminhar, “com passo firme e confiante, pelo caminho que leva à unidade”.

No final da celebração, o cardeal Kurt Koch, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, saudou o “compromisso apaixonado” de Francisco na causa do ecumenismo.