Este ano o lema para os dias 12 e 13 de outubro,  é “Vigiai e Orai”

O cardeal D. Giovanni Battista Re, Prefeito Emérito da Congregação para os Bispos e Presidente Emérito da Pontifícia Comissão para a América Latina, preside à peregrinação internacional aniversária de outubro em Fátima, informa a página oficial do Santuário.

Esta manhã, a partir de Roma, em declarações à Sala de Imprensa do Santuário de Fátima, D. Giovanni Re mostrou-se “muito feliz” com a possibilidade de vir a Fátima presidir a esta peregrinação, a convite do Bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto.

“Regresso a esse santuário com grande alegria, será um momento muito importante na minha vida”, referiu o cardeal italiano, sublinhando que esta será a sua quarta peregrinação à Cova da Iria.

D. Giovanni Re, de 81 anos de idade, esteve em Fátima em dois momentos da sua vida “por devoção pessoal a Nossa Senhora de Fátima” e em outros dois momentos “importantes na história de Fátima e da Igreja”: por ocasião das duas últimas peregrinações do Papa João Paulo II a Fátima, em 1991 e no ano 2000.

“Estarei em Fátima como peregrino entre os peregrinos”, afirmou, referindo as duas intenções principais que trará consigo: “Honrar e venerar Nossa Senhora, e pedir-lhe ajuda e proteção, para mim e para a Igreja e também para as famílias, já que estaremos unidos a todos os participantes no Sínodo sobre a Família [Vaticano, de 4 a 25 de outubro de 2015]”.

D.Giovanni Re anunciou também que confiará “a Nossa Senhora de Fátima os bons resultados espirituais do Ano do Misericórdia [com início a 8 de dezembro de 2015], solenidade da Imaculada Conceição, que devem ser aquilo de que os acontecimentos de Fátima nos falam: necessidade de conversão, de oração e de misericórdia”, até porque “ainda que os acontecimentos de Fátima se situem numa época passada, valem para hoje e apontam para o futuro”.

A peregrinação internacional aniversária de outubro, nos dias 12 e 13, terá como tema “Vigiai e orai” (Mt 26, 41). Até ao momento 76 grupos de peregrinos, vindos de 18 países, anunciaram-se junto dos serviços do Santuário de Fátima com a intenção de participar nas celebrações do dia 13.

Na celebração deste domingo, marcada pela peregrinação nacional do Apostolado de Oração D. Jorge Ortiga apelou aos agentes da pastoral para não se deixarem vencer por um cansaço que o ativismo cultural possa trazer.

Arcebispo de Braga falou do Papa Francisco como uma referência pela sua entrega à oração, incentivando mesmo a que rezem por ele.

“Impressiona a sua insistência. Estou certo que está a ser totalmente genuíno. No meio de tantos problemas, de tantos cansaços e asneiras, a oração é o descanso merecido junto de Deus”, afirmou D. Jorge Ortiga.

“O verdadeiro apostolado é a oração. Mas o nome não é suficiente”, salientou o arcebispo de Braga, que destacou a ideia de que compete aos fiéis uma verdadeira união com o Santo Padre, na oração pelas suas intenções.

O Apostolado de Oração apresenta-se como “uma rede mundial de oração e ação para responder aos desafios da humanidade dentro da missão da Igreja”, pretendendo “formar homens e mulheres unidos a Cristo, esclarecidos na própria fé e disponíveis para servir a Igreja no seu ambiente quotidiano”.