O presidente da Comissão Pontifícia para a Proteção de Menores (Santa Sé) apelou hoje a investigações “honestas” e “independentes” aos casos de abusos sexuais, para que se possa responder com “ação informada”.

“Não podemos reparar o que não reconhecemos. Não podemos restaurar a confiança quebrada se não chegarmos ao cerne da questão”, escreveu o cardeal Seán Patrick O’Malley, numa mensagem para o Dia Europeu da Proteção das Crianças Contra a Exploração e o Abuso Sexual (18 de novembro).

O responsável norte-americano, arcebispo de Boston, admite que os números podem deixar as pessoas “sem palavras”, mas sublinha que é necessário assumir responsabilidades.

Segundo o colaborador do Papa, todos devem “avaliar as medidas tomadas pela Igreja para lidar com este flagelo e fazer todas as recomendações necessárias para transformar um sistema que falhou quantitativa e qualitativamente”.

O presidente da Comissão Pontifícia para a Proteção de Menores desafia a Igreja Católica a ouvir as vítimas e a “aprender com o progresso da sociedade civil e do mundo académico em termos de modelos científicos de pesquisa”, a fim de implementar uma “abordagem mais informada às estratégias de prevenção e às políticas de proteção”.

O Dia Europeu da Proteção das Crianças Contra a Exploração e o Abuso Sexual é uma data criada em 2015 pelo Conselho da Europa, cujo tema central deste ano é “Tornar o círculo de confiança verdadeiramente seguro para as crianças”.

(Com Ecclesia)