O presidente do setor dos media na Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) afirmou que os profissionais da comunicação são “heróis no combate a esta pandemia”, valorizou a “exigência de verdade” e sublinhou a importância da comunicação social de proximidade.

Numa mensagem dirigida a todos os que trabalham nos meios de comunicação social, D. João Lavrador disse que a Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais acompanha o “notável trabalho de comunicação que a as rádios, imprensa, televisão e mesmo redes sociais, de âmbito regional desempenham na edificação de uma sociedade mais coesa e mais solidária”, pedindo que continuem a “estar perto”.

“Está sobretudo nas preocupações desta Comissão a comunicação social regional, de proximidade, a quem quer apresentar uma sincera palavra de reconhecimento e de estímulo para continuar a estar perto dos que estão distantes e isolados e a defender aqueles que não têm voz na cidade dos homens”, afirmou.

O presidente desta comissão da CEP alertou que “faltam os meios” para que a comunicação social regional possa “desempenhar satisfatoriamente a sua missão para o bem do povo”, lembrando que “sem ela estaria privado do essencial numa sociedade democrática”.

“Por isso, esta Comissão apela para que os Governantes e Autoridades Públicas tenham presente a relevância do apoio necessário para que a comunicação social regional possa continuar a desempenhar a sua missão”, afirmou D. João Lavrador.

O presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais iniciou a sua mensagem por lembrar os tempos de “enorme perplexidade, angústia e sofrimento” de um mundo inteiro “em choque com uma guerra cujo inimigo ainda não se conhece totalmente para o enfrentar com eficácia”.

“Neste contexto, a Comissão Episcopal da Cultura, dos Bens Culturais e das Comunicações Sociais sente o seu dever de dar uma palavra de reconhecimento a todos os profissionais nos diversos ramos de atividade que estão a ser os heróis no combate a esta pandemia”, afirma D. João Lavrador, realçando “a importância e o esforço dos profissionais da comunicação social, seja na imprensa, seja na rádio, seja na televisão ou nas redes sociais”.

O presidente do setor dos media na CEP alertou para “a falsidade ou o medo” que se espalha sobretudo nas redes sociais como “estratégia para alcançar notoriedade” expressou “uma palavra de reconhecimento pela exigência de verdade e de informação que nestas circunstâncias é de extrema necessidade”.

D. João Lavrador, que é também bispo da Diocese de Angra, deseja que seja a “esperança” a orientar o “futuro das vidas que agora sofrem de desorientação”.

“Em tempos de tanta calamidade, contamos e confiamos na comunicação social feita com profissionais que zela pela verdade e pelo bem comum, e promove a esperança”, conclui o presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais.

Mensagem_Covid19_ComSociais