Revista cientifica pode “reforçar créditos” da instituição

O Seminário Episcopal de Angra vai fazer uma revista cientifica, a partir do próximo ano, onde os docentes da instituição e convidados possam publicar artigos científicos, disse ao Sítio Igreja Açores o Reitor, Cónego Hélder Miranda Alexandre.

“Hoje com os requisitos para a acreditação dos cursos e dos planos curriculares, nomeadamente pós Bolonha, não basta termos um corpo docente habilitado temos de ter alguma produção cientifica sobretudo se aspiramos ao paralelismo pedagógico e curricular” e, por isso, “decidimos avançar com a elaboração de uma revista cientifica que nos dê outro tipo de créditos curriculares” sublinhou o responsável pelo Seminário.

De resto, já este ano, a publicação do livro sobre os 150 anos de história do Seminário “foi um passo nesse sentido” dado que além de “materializarmos em livro a história desta casa, os artigos são escritos por historiadores obedecendo a um rigor cientifico assinalável”, frisou ainda o Cónego Hélder Miranda Alexandre.

Para já está fora de questão o reconhecimento do Plano de Estudos do Seminário com o grau académico de licenciatura “não pela falta de rigor mas porque há exigências que ainda não conseguimos observar” nomeadamente ao nível da produção cientifica e número de doutores nas áreas curriculares especificas.

“Para já esse reconhecimento civil está fora de questão embora do ponto de vista canónico respeitemos todos os requisitos”, precisa o responsável.

O novo ano letivo trará mais novidades ao nível da componente formativa com a ida para Roma de um docente da instituição- Pe Teodoro Medeiros- que irá estudar Sagrada Escritura e “em breve regressarão os Padres Dinis Silveira, que acaba de completar a sua licenciatura em Direito Canónico e Jorge Ferreira que está a fazer Liturgia”.

“Estamos todos muito empenhados em aprofundar cada vez mais o nosso trabalho; queira Deus que consigamos despertar vocações e trazer mais alunos para o Seminário”, disse ainda o Reitor que este ano conta com novos estudantes “embora ainda não possa precisar o número exato”.

O ano letivo que agora termina contou com 17 seminaristas e 12 docentes, sendo que dois deles chegaram ao fim do curso, embora um não tenha sido ordenado por questões de idade.

“O ano terminou com uma ordenação sacerdotal o que é muito bom porque é para isso que nós existimos e se tudo correr bem para o ano serão duas ordenações” a do diácono que não pode ser ordenado- Gaspar Pimentel, de São Miguel- e a de um seminarista finalista- Pedro Lima, natural do Faial.

Aliás, nos próximos dois anos haverá ordenação de sacerdotes; depois haverá o interregno de um ano e as ordenações sacerdotais, se tudo correr bem, voltarão à diocese de Angra.

Em 19 anos de episcopado o Bispo de Angra, D. António de Sousa Braga já ordenou 54 sacerdotes diocesanos.

Deste ano letivo, o Reitor destaca o “clima de unidade vivido na comunidade que já há muito tempo não se sentia”.

O Seminário foi também distinguido com a Comenda da Ordem de Mérito Público Escolar pela Presidência da República e a Medalha de Ouro Municipal da Câmara de Ponta Delgada.

“Foram momentos altos que distinguiram o trabalho desta instituição, que lhe deram projeção e que nos deixaram muito satisfeitos”, conclui o Reitor.

O Seminário realizou ainda algumas iniciativas de natureza vocacional muito para além daquelas que são anualmente habituais como a Semana dos Seminários ou a Quinzena Vocacional. Refiro-me à realização de um workshop vocacional com alunos do nono ano de escolaridade, matriculados na disciplina de Educação moral e Religiosa Católica, nas escolas da ilha Terceira, que “correu muitíssimo bem com uma enorme adesão que esperamos possa dar frutos no futuro”, concluiu o Reitor.