Celebrações no dia 26 de novembro contam com a presença de dirigentes nacionais

Os Vicentinos da ilha terceira vão assinalar o Dia do Vicentino na paróquia de São Mateus da Calheta e contam para a festa com a presença da presidente do Conselho Nacional Alda Couceiro.

Na ilha Terceira existem 13 conferências ativas, mas muito envelhecidas. A única que ainda consegue manter a juventude é a do Seminário Episcopal de Angra, composta só por jovens seminaristas que mensalmente apoiam 30 pessoas, para além do conforto espiritual que levam aos idosos da Santa Casa da Misericórdia de Angra e aos sacerdotes que visitam na Casa de Saúde de São Rafael.

Apesar de nem todos os seminaristas estarem diretamente envolvidos na Conferência de São Tomás de Aquino, quando se realizam acções solidárias especificas todos contribuem.

“A questão social e o cuidado pelos mais fracos e pobres está muito presente na nossa formação espiritual e pastoral aqui no Seminário e todos, desde alunos a professores, se envolvem nestas questões” refere o presidente da Conferência Vicentina de São Tomás de Aquino, Nuno Pacheco de Sousa.

Esta conferência costuma igualmente organizar todos os anos, por altura da Quaresma, um colóquio onde debate um determinado tema e promove a partilha de experiências com todas as conferências da Terceira.

A ação dos vicentinos assenta em três pilares: o acolhimento, a convivência pessoal e a espiritualidade.

Os vicentinos assinalam este ano os 400 anos do carisma vicentino, os 280 anos da canonização de S. Vicente de Paulo e os 20 anos da beatificação de Frederico Ozanam, fundador.

A primeira conferência vicentina em Portugal foi criada em Lisboa, em 1859, sendo depois fundado o Conselho Nacional de Portugal, que resultou da fusão dos Conselhos Superiores Masculino e Feminino Portugueses, em 1976.