O Pé Hélder Fonseca Mendes participa no VII Congresso Internacional sobre as Festas do Divino Espírito Santo, no Canadá.

“A persistência e resistência do Império” do Divino Espírito Santo na vida, na Igreja e na sociedade é um desafio que qualquer cristão não pode perder de vista, disse o Vigário Geral da Diocese de Angra que participa até amanhã no VII Congresso Internacional sobre as Festas do Divino Espírito Santo, na cidade de Winnipeg, Canadá.

 

Com uma intervenção intitulada ‘Espírito Santo – Persistência e Resistência do Império’, o sacerdote traçou, em termos gerais, os aspetos que identificam este culto, destacando a sua história a partir das raízes e a sua difusão nos Açores.

 

Hélder Fonseca Mendes sublinhou que “os açorianos são verdadeiros  missionários do Espirito no mundo” e explicou as razões que levam a que as Festas do Divino Espírito Santo nos Açores sejam tão importantes no contexto da religiosidade popular insular.

 

O Vigário Geral da Diocese de Angra falou, ainda, da expansão deste culto na diáspora, lembrando que se trata de “uma viagem com retorno e proveito para os açorianos nas ilhas”.

O encontro, que constitui mais um contributo para a preservação e divulgação desta profunda manifestação da identidade cultural açoriana é uma iniciativa da Subsecretaria Regional da Presidência para as Relações Externas, através da Direção Regional das Comunidades e visa promover e divulgar as Festas do Divino Espírito Santo, bem como o estudo e debate sobre a sua história e evolução, nos Açores e nos vários países onde residem comunidades açorianas.

 

O evento, organizado em parceria com a Casa dos Açores do Winnipeg, teve início quarta-feira, pelas 18h00, na sede da instituição, com a apresentação do livro ‘É’, da autoria de Célia Jachemet, investigadora do Rio Grande do Sul, no Brasil, e uma atuação do Grupo Folclórico desta Casa dos Açores.

 

Na quinta-feira, no Clarion Winnipeg Hotel, realizou-se a sessão de abertura, com a presença do Diretor Regional das Comunidades, Paulo Teves, do Presidente da Casa dos Açores do Winnipeg, João Melo, e do Cônsul Honorário de Portugal no Winnipeg, Paulo Jorge Cabral.

 

A tradição e a evolução do culto ao Divino Espírito Santo estiveram em debate no segundo painel, que contou com comunicações de oradores da ilha Terceira e de Alenquer.

 

No dia seguinte, 13 de junho, realizou-se o terceiro painel deste congresso internacional, denominado ‘Espírito Santo: Fator Identitário e de Coesão Social’, que abordará esta temática na sua perspetiva aglutinadora e identificadora da matriz cultural açoriana no Estado do Rio Grande do Sul, no Brasil, e na Nova Inglaterra, nos EUA, enquanto o quarto e último painel, dedicado às comemorações desta tradição açoriana no Canadá, terá a participação de membros das Casas dos Açores do Quebeque, Ontário e Winnipeg.

 

Hoje e amanhã os participantes do congresso integram as celebrações das Festas do Divino Espírito Santo da Casa dos Açores do Winnipeg, que incluem as tradicionais rezas do terço, bodo de leite, missa de coroação e procissão, bem como atuações de diversos grupos musicais e artistas da comunidade açoriana residente nesta cidade do Canadá.