Ao todo são 27 condecorados, entre eles estão, também, a Cáritas da Terceira e o Banco Alimentar contra a fome de São Miguel.

O Pe Manuel Coelho de Sousa é um dos 27 açorianos homenageados no Dia da Região, que se comemora na próxima segunda-feira de Espírito Santo( 9 de junho),  no Nordeste, numa cerimónia co presidida por Ana Luís, Presidente da Assembleia Legislativa dos Açores e Vasco Cordeiro, Presidente do Governo Regional dos Açores.

 

O Pe Manuel Coelho de Sousa, natural da vila de São Sebastião, ilha Terceira, vai receber a Insígnia Autonómica de Reconhecimento a título póstumo, apurou o Portal da Diocese esta Terça feira.

 

O sacerdote terceirense, falecido há 19 anos, foi escritor e jornalista.

 

Frequentou o seminário de Angra a partir de 1937, tendo sido ordenado a 20 de Junho de 1948.

 

Posteriormente, tentou prosseguir os estudos de Filologia Hispânica, em Salamanca (1962), mas abandonou-os por motivos de saúde.

 

Para além do exercício da função sacerdotal, desde 1963, na freguesia onde nasceu, foi professor de língua portuguesa no Seminário Colégio Padre Damião, na Praia da Vitória, e no antigo liceu de Angra.

 

Como jornalista, deixou vasta colaboração em suplementos literários e dirigiu, também, o jornal católico A União, primeiro como chefe de redação, entre 1956 e 1962 e  depois como diretor-adjunto, em 1976, ficando depois a dirigi-lo até 1994.

 

Deixou algumas obras publicadas, com destaque para a poesia com “Cadernos do Pensamento” (1979), “”Três de Espadas” (1979), “Na Rota da Emigração Amiga” (1983), “Migalhas” (1987), “Boa Nova” (1994) e “Testamento Poético” (2013, obra póstuma, coletânea de inéditos editada por Dionísio Mendes de Sousa).

 

Escreveu, igualmente, algumas peças de teatro representadas por grupos locais como o auto «Ao mar», levado à cena no centenário henriquino, «Angústia», drama em dois atos, «Promessa», teatro regional, e «Intriga Azul e Branca», teatro crítico.

 

Proferiu, também, várias palestras no Rádio Clube de Angra, estação que dirigiu durante algum tempo.

 

Destacou-se no seio do clero terceirense, pela sua fluência e força espiritual, o que o levou até junto das comunidades da América e Canadá.

 

Na freguesia natal foi homenageado com a colocação de um busto, junto à igreja.

 

Na cerimónia do Dia da região serão igualmente condecoradas a Cáritas da ilha Terceira e o Banco Alimentar contra a Fome de São Miguel com as Insígnias Autonómicas de Mérito Cívico.

 

Estas Insígnias visam distinguir em vida ou a título póstumo os cidadãos, personalidades ou instituições que se notabilizem por méritos institucionais, pessoais ou serviços prestados à Região.

 

Ao todo são quatro as Insígnias regionais que destacam o Valor, o Reconhecimento, o Mérito e a Dedicação.

 

As Insígnias são atribuídas sempre no Dia da Região, que coincide com a Segunda Feira do Divino Espírito Santo, sendo feriado no Arquipélago dos Açores.