«Missionários da Misericórdia» são um dos símbolos do Ano Santo extraordinário

O Vaticano revelou esta sexta-feira que o Ano Santo extraordinário, com início marcado para dia 8 de dezembro, vai ter 800 “missionários da misericórdia”, padres nomeados pelo Papa, com a faculdade de perdoar pecados reservados à Santa Sé.

“Os missionários são sacerdotes oriundos das diversas partes do mundo e foram indicados pelos próprios bispos para assumir este serviço particular”, disse em conferência de imprensa D. Rino Fisichella, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, organismo responsável pela organização dos eventos do Jubileu (8 de dezembro de 2015 a 20 de novembro de 2016).

Estes missionários vão receber no início da Quaresma do próximo ano um “mandato”, por parte do Papa, para serem “pregadores da misericórdia e confessores cheios de misericórdia”, como sinal da “proximidade e do perdão de Deus para todos”.

Entre os chamados pecados “reservados”, que só podem ser perdoados pela Santa Sé (Penitenciaria Apostólica), estão a profanação da Eucaristia, a violação do sigilo sacramental (por parte de um sacerdote) ou a violência física contra o Papa, por exemplo.

Por outro lado, como já tinha sido anunciado, durante todo o Ano Santo extraordinário qualquer sacerdote vai poder absolver o pecado do aborto, uma faculdade atualmente concedida aos bispos, que a podem delegar a penitenciários de algumas basílicas e santuários.

Francisco incluiu entre as indicações para o Jubileu extraordinário da Misericórdia uma disposição particular para as “as mulheres que recorreram ao aborto”, recordando que o perdão de Deus “não pode ser negado a quem quer que esteja arrependido”.

“Também por este motivo, não obstante qualquer disposição em contrário, decidi conceder a todos os sacerdotes para o Ano Jubilar a faculdade de absolver do pecado de aborto quantos o cometeram e, arrependidos de coração, pedirem que lhes seja perdoado”, determina.

O Papa decidiu ainda que todos os católicos se vão poder confessar de forma válida, durante o Jubileu, a sacerdotes Fraternidade Sacerdotal São Pio X, fundada por D. Marcel Lefèbvre (1905-1991).

Na diocese de Angra, antecipando já esta iniciativa centrada no Jubileu da Misericórdia estão a decorrer desde o passado sábado as “Noites da Misericórdia” em Angra do Heroísmo.

Trata-se de uma organização da zona pastoral da cidade, uma das cinco zonas pastorais da ouvidoria da Terceira, que promove o sacramento da reconciliação, semanalmente, nas noites de sábado, durante o período do Advento.

Percorrendo todas as paróquias da cidade património os sacerdotes propõe a celebração e meditação da palavra seguida de confissões individuais. Depois de São Pedro, este sábado a iniciativa decorrerá em São Bento.