Iniciativas de preparação do caminho rumo à Jornada Mundial da juventude começam no próximo dia 29 de novembro

A preparação da caminhada rumo à Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de 2023, em Lisboa,  começa no primeiro domingo do Advento.

“Como não podia deixar de ser o Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil insere-se nesta  dinâmica e associa-se a toda a Igreja em Portugal” e, neste sentido, nesse dia, em que arranca também o novo ano pastoral da diocese, serão realizadas várias iniciativas em todas as ouvidorias e paróquias das nove ilhas.

Na sequência do `Encontro on line´ com os responsáveis da Pastoral Juvenil é proposto que no fim de semana de 28 e 29 de novembro, no final de todas as celebrações eucarísticas, “um jovem faça uma alusão ao momento, evocando e discernindo sobre o que é uma Jornada Mundial da Juventude, os seus objetivos e destinatários”.

Os responsáveis diocesanos desafiam ainda à colaboração das autoridades locais para que possam surgir murais onde os jovens possam pintar e desenhar elementos alusivos a estas jornadas e que depois sirvam de ponto de encontro e animação permanente nas iniciativas das comunidades.

“A ideia é que este mural possa ir sendo pintado ao longo da caminhada até 2023”, refere a Pastoral Juvenil, acrescentando que, na primeira pintura “e uma vez que estamos a viver o ano da Laudato Si, possa ser colocada uma frase relacionada com esta encíclica papal”, refere uma nota da Pastoral Juvenil.

Em todas as ouvidorias deverá ser ainda realizado um momento regular de oração por intenção da JMJ de Lisboa.

Como a JMJ está intrinsecamente ligada ao Papa São João Paulo II, o único que até hoje visitou os Açores, os responsáveis pela juventude esperam que este locais festivos comecem por ser locais por onde tenha passado o Santo padre em 1991.

Assim, foi proposto o Adro da Sé de Angra e o exterior do Campo de São Francisco em Ponta Delgada. Na nota lê-se ainda que daqui em diante a cada dia 23 do mês haverá sempre uma iniciativa de oração por intenção da JMJ. Essa oração far-se-á regulamente em cada uma das 17 igrejas escolhidas para serem “a casa” da JMJ nos Açores, uma por ouvidoria.