Este agrupamento do CNE conta com 65 escuteiros

O Agrupamento 1065 dos Ginetes, do CNE, na ilha de São Miguel,  acaba de assinalar 25 anos de existência. O Agrupamento conta com cerca de 65 elemento, incluindo crianças e jovens da freguesia de Ginetes, do lugar de Várzea, da freguesia de Candelária, Arrifes e Relva, como é o caso dos caminheiros, sem mencionar os dirigentes. Mas para o chefe do agrupamento, Pedro Paulo Câmara, “é pouco, tendo em conta a missão a que nos propomos”.

“Precisamos de mais crianças e de mais jovens. Olhem para os que cá estão. Reparem nos seus sorrisos, na sua energia, na sua cumplicidade. Eles são o futuro promissor da nossa humanidade. Ajudem-nos a construir este futuro. Espalhem a palavra. O Agrupamento existe, como sempre existiu, de braços abertos”, afirmou o dirigente na celebração.

Entre as futuras conquistas está o “recrutamento” de crianças das freguesias de Mosteiros e Sete Cidades.

Para o dirigente a celebração das bodas de prata desta agrupamento “é um momento histórico para a freguesia, que vê um dos seus movimentos dar sinais de vitalidade e de confiança”.

“Os 25 anos que hoje celebramos são produto de todos aqueles que já passaram pelo Agrupamento, nas diversas secções, e de todos aqueles que, hoje em dia, ainda dele, ativamente e efetivamente, fazem parte”, disse Pedro Paulo Câmara que  lembrou a história destes 25 anos desde a “sede do Agrupamento era uma cave húmida e escura, de terra batida” até aos dias de hoje.

“O que hoje temos, o que hoje possuímos, não apenas materialmente, mas em essência, nasceu da sinergia ocorrida em 1991, que levaria para formação um grupo de cidadãos-ginetenses empenhados na constituição do Agrupamento. Nem todos a concluíram, mas a sua insistência e a sua força de vontade inicial foram fulcrais para a concretização da possibilidade de hoje estarmos aqui”, acrescentou.

“Se é verdade que o Escutismo é um jogo, ou o verdadeiro Jogo, este obedece a regras definidas, ambiciosas e que têm por base o interesse do desenvolvimento integral do indivíduo. Raros não são os casos de escuteiros, ex-escuteiros e familiares de escuteiros que testemunham e eficácia de se estar inserido num agrupamento escutista”, afirmou sobre o que é ser escuteiro e a essência do movimento escutista.