Tríduo preparatório começou hoje com o Vigário Episcopal para a zona do Ocidente, Pe. João Bettencourt das Neves, a desafiar os cristãos a serem construtores de uma paz alicerçada em Jesus Cristo

O Vigário Episcopal para a zona do Ocidente desafiou os cristãos açorianos,  esta tarde em Ponta Delgada, no primeiro dia do tríduo preparatório da festa do Senhor Santo Cristo, a serem construtores de uma paz alicerçada em Jesus e não na força e na vontade dos homens.

“A paz que Deus nos dá é bem diferente da paz que o mundo constrói” afirmou o Padre João Bettencourt das Neves na homilia que proferiu na igreja do Senhor Santo Cristo.

“Já quantos acordos de paz se fizeram para a Terra Santa, quanto acordos de paz foram assinados para tantas partes do mundo e que foram violadas porque os homens que governam o mundo e querem defender a paz fundamentam-na em si, nas suas forças e nos seus poderes e são limitados” acrescentou o sacerdote diante dos peregrinos.

“Mas a paz que nos vem de Deus há de perpetuar-se quando os homens que governam o mundo, e aqueles que  têm o poder e autoridade, se deixarem iluminar pelo dom da paz que vem de Deus” sublinhou a partir da liturgia deste primeiro dia de maio, dia de São José Operário e comummente aceite como o Dia do Trabalhador.

O sacerdote, que é pároco das Lages do Pico, interpelou os cristãos a serem “construtores desta paz começando por si: pela família, pelo trabalho, pelos ambientes onde se movimentam, sempre de olhos postos em Jesus” como fizeram as primeira comunidades.

“Somos convidados, hoje no  século XXI, a ser construtores das nossas comunidades alicerçadas em Jesus Cristo, nos mais variados sectores da pastoral na juventude, na catequese, na liturgia” para “ fazer crescer e desenvolver nas pessoas a possibilidade de uma nova criação”.

“O mundo precisa de homens e mulheres dedicados e empenhados como nas primeiras comunidades”, concluiu ainda o sacerdote apelando aos peregrinos para serem instrumentos da “alegria” e da “misericórdia” de Deus, à semelhança do que foi por exemplo, Madre Teresa da Anunciada, a religiosa clarissa que iniciou e fomentou o culto ao Senhor Santo Cristo dos Milagres.

A festa, que tem mais de 300 anos, começa na próxima sexta feira, com a missa dos doentes. Mas os dias principais serão o sábado e o domingo e as celebrações religiosas serão presididas pelo cardeal patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.