Pelo Pe José Júlio Rocha.

«Mais vale padecer por fazer o bem, se for essa a vontade de Deus, do que por fazer o mal.» (1 Pedro 3, 17)
Costuma-se dizer que quem é “bom” sofre mais do que quem é “mau”. Isto porque há uma realidade que distingue a bondade da maldade do coração: chama-se “consciência”. E, mesmo no sofrimento, não há consolo maior do que ter a consciência de que se fez o bem. Muitas vezes paga-se o bem com o mal. Mas quem faz o bem vence sempre.
Assim aconteceu a Jesus, cujo rosto de inocência e beleza está estampado na imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres, cuja festa se celebra hoje, em silêncio.
A grande veneração dos açorianos por aquela imagem também é devida à arte do escultor anónimo que esculpiu a beleza extraordinária daquele rosto. É uma forma de nos levar até Jesus.