Pelo Pe José Júlio Rocha.

«De facto, os filhos deste mundo são mais espertos do que os filhos da luz no trato com os seus semelhantes». (Lucas 16, 8)
Todos nós já ouvimos dizer que “quem não presta nunca morre” e que os “bons” morrem mais cedo. O facto é que há pessoas que não olham a meios para atingir os seus fins.
“Bem-aventurados os puros de coração”, disse Jesus. Ser puro do coração é, sobretudo, não ter segundas intenções no trato com o semelhante. É ser claro e honesto, bondoso e pacificador.
A pureza de coração não tem preço.